quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Acesso de crianças a conteúdo impróprio é grande no Brasil


"Pesquisa revela que estamos no oitavo lugar na lista dos dez países com maior conteúdo inadequado disponível para crianças

Novamente o Brasil volta a aparecer nos rankings digitais. Porém, dessa vez, a notícia não é lá muito agradável. Como bem sabemos, já faz alguns “séculos” que a internet, ou melhor, o seu uso, deixou de ser apenas para adultos e pessoas com bom-senso. Nos últimos anos, a reviravolta foi tão grande que, em alguns casos, as crianças usam mais a internet do que seus próprios pais. E é aí que reside o problema.

Será mesmo que a internet pode ser tão segura, a ponto de possibilitar que crianças a usem sem nenhum receio de encontrar pela frente algum conteúdo impróprio?

Foi pensando nisso que o pessoal da Kaspersky Lab resolveu fazer uma pesquisa para tentar identificar as prováveis ameaças online para os pequenos. A empresa fez uso de seus próprios produtos para se chegar a uma conclusão. Esses produtos eram equipados com uma solução chamada de Controle Parental.

O estudo revelado pelo laboratório, e que recebeu o nome de “Crianças Online”, apontou números até surpreendentes. Os resultados mostraram que 68% dos usuários, no caso, as crianças, já tiveram de uma forma ou outra, acesso a conteúdo impróprio ou até perigoso.

No meio dessa análise, ainda vamos encontrar os tópicos mais procurados que, segundo a Kaspersky, foram sites que divulgam informações sobre armas, jogos e, claro, conteúdo adulto.

Sendo um pouco mais preciso nas informações sobre o relatório, temos os seguintes dados:

– Pouco mais de 56% dos usuários acabaram encontrando pornografia. Cerca de um quarto, uma fatia de 26,6%, caíram em sites que tratam de jogos de azar e um quinto dos usuários pesquisados se depararam com sites de armas.

– Os principais países que encabeçaram a lista dessa pesquisa foram a China, os Estados Unidos, a Alemanha, Reino Unido e Rússia. O Brasil também fica entre os dez primeiros, na oitava posição.

O interessante é que cada país tem sua ameaça mais “forte” para as crianças. No caso da Alemanha, por exemplo, o conteúdo adulto lidera. Para as crianças brasileiras os chamados “chats” e “conteúdo adulto” dominam"

ORIGEM DO TEXTO: http://www.melhornotebook.org/2015/03/16/acesso-de-criancas-a-conteudo-improprio-e-grande-no-brasil/?google_editors_picks=true