terça-feira, 16 de junho de 2015

NOTA TRISTE: HÁ UM DEBOCHADO NO MINISTERIO DA EDUCAÇÃO



O sujeito é  professor de ética e filosofia na USP, portanto um intelectual, quando nomeado como MINISTRO DA EDUCAÇÃO foi festejado por todos, mesmo porque em comparação ao seu antecessor era pra ser mesmo,  pois bem, ontem  a galerinha do portal do EL  PAIS entrevistou o respeitadíssimo senhor RENATO JANINE RIBEIRO,  resolvi separar apenas duas resposta do dito ministro, respostas essas que mostra bem a alienação do sujeito no que diz respeito ao termo EDUCAÇÃO, na primeira parte ele diz  textualmente: "Olhando internacionalmente o Brasil não é o mesmo que o visto aqui pelas pessoas de má fé. De má fé eu não diria... Das pessoas de má informação....", se você leu essa frase e tem um filho matriculado em alguma escola dita publica no Brasil, ou melhor se você mora no Brasil há mais de 6 meses já percebeu que essas palavras não pode ser de um ministro de Educação de um pais com bilhões de problemas na EDUCAÇÃO como o nosso, e o pior, o débil mental, tem certeza absoluta que estamos no caminho certo, tão somente porque foi elogiado por fulano ou beltrano em algum pais desenvolvido, provavelmente ele é desses que acha que a educação nacional tá melhorando a passos lentos , mais melhora, daí que,  daqui a 200 anos nossa educação vai ser um pouquinho melhor que a do nosso vizinho, o PARAQUAI por exemplo, na segunda parte ele tenta justificar o slogan de seu governo a tal da PATRIA EDUCADORA. Sinceramente, esse sujeito pode ser um excelente intelectual e professor, mais por favor nós não precisamos de um retardado , um débil mental,  um debochado que trata uma questão seria, com frases de efeitos,  e  feitos  esses que só ele  ver. O professor RENATO JANINE RIBEIRO é professor na USP, alguém tem que lembrar o sujeito que agora ele é MINISTRO DA EDUCAÇÃO de um pais chamado BRASIL. Leia a integra da entrevista, e se delicie com tanta verborragia, aliais, onde está o plano de governo para seu ministério, a primeira coisa que ele tinha que ter dito, era que sim , nos falhamos, nossa educação é falha, não temos planejamento, não temos sincronização entre Municípios e Estados, não temos interesse em fazer uma REVOLUÇÃO NA EDUCAÇÃO, não temos discernimento para apontar a EDUCAÇÃO como a única DESGRAÇA no Brasil, não temos percepção nem mesmo do que seja uma educação de qualidade, se esse sujeito acha que vai ficar 4 anos debatendo, falando e escrevendo sobre a educação , lamentável, o Brasil precisa de AÇÃO e  IMPLEMENTAÇÃO,  ISSO PARA ONTEM,  Ninguém precisa ser intelectual, ninguém precisa escrever da mesma forma que um professor de português, ninguém precisa ser aluno, jornalista, escritor, professor, mãe, pai, para concluir que a Educação NACIONAL É UM  CAOS  GENERALIZADO.   TALVEZ O NOBRE FILOSOFO ESTÁ CERTO, afinal ele entende de ética e de filosofia talvez entenda de educação também. Afinal só ele é bem informado, o resto , são apenas mal informados, e consequentemente mal- intencionados.

 POBRE BRASIL.


LEIA A INTEGRA DA ENTREVISTA: http://brasil.elpais.com/brasil/2015/06/15/politica/1434388809_231783.html

Pergunta: Você declarou recentemente que em época de vacas magras tem que aproveitar para fazer muitas discussões e melhorias. A que tipo de discussões se refere?


R. A fase de discussões pra valer começa agora. Porque desde que eu assumi nós tivemos a Coreia (o Fórum Mundial de Educação, que aconteceu em Incheon, na Coreia do Sul, promovido pela Unesco), que foi algo extremamente importante. O Banco Mundial nos apresentou como modelo de sucesso. O responsável pelo PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), Andreas Schleicher, fez questão de apontar os avanços do Brasil. Olhando internacionalmente o Brasil não é o mesmo que o visto aqui pelas pessoas de má fé. De má fé eu não diria... Das pessoas de má informação... Isso tudo na mesma semana em que o orçamento estava sendo redefinido, em que as greves estavam pipocando, é um pouco difícil você definir uma agenda de mudança, mas essa agenda de discussão a gente pretende retomar neste mês ou em julho.

P. E qual a sua opinião sobre o slogan Pátria Educadora? Não pode ser um tiro no pé do Governo, visto que ele tem sido usado com ironia sempre que se apontam os problemas do Brasil nesta área?


R. É um slogan que a presidente escolheu que me parece importante. Porque as pessoas atentam muito ao Educadora, e se esquecem de Pátria. A palavra pátria foi muito mal utilizada pelo lado conservador. Uma canção acho que do Chico Buarque fala mais ou menos assim, “a nossa pátria tão gentil estava sequestrada”. Quer dizer, a pátria foi sequestrada pela ditadura, pelo conservadorismo, mas a pátria é o que vincula todos nós, é o que está para além dos partidos. Então o slogan é bom na medida que ele vincula a pátria, essa ideia acima dos partidos, com uma ação que a sociedade brasileira cada vez mais afirma como prioritária que é a ação educadora."