terça-feira, 9 de junho de 2015

A ULTIMA DO BILIONARIO 'PAULO COELHO', no 'THE GUARDIAN'


LEIA NA INTEGRA http://www.theguardian.com/books/booksblog/2015/jun/09/paulo-coelho-buy-my-book-after-youve-read-it-only-if-you-liked-it


O autor brasileiro está oferecendo duas de suas obras, grátis e convida os leitores a pagar somente se eles apreciá-los. "Essa ideia não prejudica  o negócio", diz ele


Em um momento de mudança frenético no mundo da edição, parece que novas formas de leitura, comprando e vendendo livros estão surgindo a cada semana.  O último a jogar com o paradigma é o sagaz Paulo Coelho , que esta semana fez dois de seus livros disponíveis on-line.  Em que ele chama de um "método reverso da venda de livros", o autor best-seller brasileiro sugere que os leitores pagam-se apenas se eles gostam do que você leu.
 Coelho é oferecer aos leitores a versão em Inglês do seu 1997 de não-ficção livro O Manual do Guerreiro da Luz e da versão em Português do seu romance Brida.  O primeiro, que compila ensinamentos, pensamentos e histórias filosóficas, podem ser encontrados no seu perfil no editora Inkitt digitais , bem como sobre seu próprio blog , onde ele pode ser baixado como um ebook.  Ele também promete fazer o mesmo para mais edições de seus livros em Português e em Espanhol.


 Mais precisamente, ele está oferecendo quatro quintos do trabalho em Inglês ("eu não tenho a versão completa. Existem algumas páginas em falta, o que não estragar o número de leitores", ele esclarece em seu blogue ).  Em uma nota que seus leitores vai encontrar depois de terem terminado os primeiros capítulos do livro, o autor de O alquimista escreve: "Caro leitor, se você gosta do texto, por favor comprá-lo -, então podemos dizer indústria editorial que este idéia não prejudicar o negócio ".
 Esta não é a sugestão mais radical publicação a grande populista fez.  Ele tem sido um apoiante de downloads ilegais de sua escrita, desde a edição russa pirata de O Alquimista foi publicado on-line em 1999, o envio de vendas crescentes.  Em 2012 ele se juntou fileiras com o site de compartilhamento de arquivos Pirate Bay, invocando "piratas do mundo" para "unir e piratear tudo que eu já escrevi", e expor a sua oposição às leis de pirataria em termos inequívocos.
 Com mais de 25 milhões de fãs no Facebook, mais de 10 milhões no Twitter e quase um quarto de milhão no Instagram, Coehlo é adepto a usar técnicas de crowdsourcing: para seu último livro Adultério , coletou mais de 1.000 e-mails que seus fãs de boa vontade compartilhada com histórias pessoais de infidelidades.
 Ele não é, no entanto, pedindo aos leitores a experiência quando se trata de onde para pagar as obras - seu local oferece links para lojas online como a Amazon, Barnes & Noble e iTunes.  Vai ser interessante ver como muitos de seus leitores de língua inglesa apressar para compensar a falta de 20%.

ORIGEM DA FOTO:  Frank Baron