sexta-feira, 1 de maio de 2015

EU AVISEI: OS VAGABUNDOS DO STF APOIAM SEUS PARES DA LAVA JATO



A nossa justiça é tão podre. tão execrável, que não basta apenas um juiz no estilo SUPER HOMEM, o caso do Sergio Moro, temos que ir além, temos que ter todo o conjunto pensando e agindo de forma UNIFORME.

Quem assistiu, leu os argumentos de alguns ministros do STF DO BRASIL em defesa dos vagabundos ladroes da operação da policia federal LAVA JATO?? 

Tudo Deboche , piada com a sociedade, com o juiz Serio Moro, e com a hombridade de toda uma classe.

Lamentável que alguns ministros do STF tenham um comportamento, um tipo de pensamento tão repugnante, pequeno e desleal a ponto de prejudicar toda uma nação que luta bravamente em pró de um pais, uma justiça  minimamente desigual.

Eu pago o salario desses vagabundos,  por isso tenho o direito de chama-lo do jeito que quiser, se eles não tem escrúpulos, que se calem diante das criticas.

EIS AI O NOME DOS 3 VAGABUNDOS MINISTROS DO STF QUE VOTARAM ORGULHOSAMENTE A FAVOR DOS BANDIDOS DA LAVA JATO, sob o ILUMINADO argumento que "a prisão domiciliar exauriu sua utilidade" : Teori Zavascki, Gilmar Mendes, e o sempre ele DIAS TOFFOLI. Se querem ser respeitados como meritíssimos que façam por onde, para mim são apenas isso cumplice de bandidos, e como tal bandidos também.

EIS AI A LISTA DOS BANDIDOS SOLTOS POR SEUS PARES DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL: O dono da construtora UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa, preso há mais de cinco meses, no Paraná por suspeita de envolvimento no escândalo de corrupção na Petrobras, irá para prisão domiciliar. A decisão foi tomada pelo Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira. Ele é apontado pelo Ministério Público como líder do clube das empreiteiras, que agia como um cartel, pagava propinas e combinava preços das licitações da estatal. A corte decidiu também estender a decisão tomada com relação a Pessoa para outros executivos presos em novembro. José Aldemar Pinheiro Filho, Agenor Franklin, José Ricardo Breguirolli, e Matheus Coutinho (executivos da OAS), Gerson de Mello Almada (vice-presidente da Engevix), Sergio Mendes (vice-presidente da Mendes Junior), Erton Medeiros (executivo da Galvão Engenharia), João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa