sexta-feira, 24 de abril de 2015

O BRASILEIRO É, ANTES DE TUDO, UM PARADOXO



POR :Walace Cestari


"Está tudo errado. Como sempre esteve. Talvez como sempre estará. Ainda que a vida esteja boa não estando. Nas ruas e nas casas há gritos e controvérsias. Contra tudo, contra todos. Contra todas. Em especial contra aqueles que são contra nós. Aqueles do contra.
O brasileiro é, antes de tudo, um paradoxo. E não se dá mal com isso. O brasileiro consegue ser um poço de contradições e ter total condição de apontar todos os erros que os outros cometem, cometendo-os igual. O brasileiro tem um espelho sujo e um dedo em riste.
Políticos são corruptos. Porque brasileiros são corruptos. Mas, no discurso do brasileiro, parece que os políticos são alienígenas que tomaram de assalto o Congresso. Porque brasileiros não gostam de corrupção. De outros brasileiros. As suas, o brasileiro não considera corrupção.
Brasileiros vão às ruas e pedem o fim da roubalheira. Porque o brasileiro diz ser absurdo o tanto que roubam, enquanto há brasileiros passando fome. Mas o brasileiro também é contra que se dê comida ou auxílio a esses brasileiros. Afinal, brasileiro é um vagabundo.
O brasileiro tem lado. E é fiel a ele. O que vem do outro lado é sempre errado. Mesmo se ele concordar. E o brasileiro adora um culpado. Então, o brasileiro acha que a terceirização só beneficia as empresas, mas é a favor do projeto, porque do jeito que está não dá. É obra dos outros brasileiros culpados.
E o brasileiro tem todas as suas culpas compreendidas em um sistema ético particular, que permite condenar a culpa alheia com a mesma facilidade que justifica que a sua culpa nem culpa é. Se é, é porque todo brasileiro faz. Brasileiro é assim mesmo.
Brasileiro acha que o Estado é incompetente. E não faz nada direito. Por isso, o Estado devia ser menor, gastar menos. Mas o brasileiro vive estudando para passar em um concurso público. Tem estabilidade, sabe? O brasileiro é trabalhador e sonha em ser servidor. Porque o brasileiro sabe que funcionário público brasileiro não trabalha.
O horror toma conta do brasileiro quando vê a fila no hospital público. Mas o brasileiro que mais reclama é aquele que jamais foi ao SUS. O brasileiro sonha em ter seu filho médico. Ou advogado. Mas não para cuidar de brasileiro pobre. Nunca para defender bandido. Brasileiro quer ser doutor. Mesmo sem doutorado.
O brasileiro defende que a educação é a solução para todos os problemas. E que o professor brasileiro ganha mal pacas. Mas o brasileiro finge que não vê a greve dos professores. E reclama. Porque brasileiro detesta vagabundo grevista. E greve atrapalha o trânsito. Brasileiro não gosta de engarrafamento. Por isso que o brasileiro anda no acostamento e enfia o carro onde der, brigando com outro motorista. Brasileiro detesta gente lesa. Mas se diz o brasileiro ser a gentileza em pessoa.
Brasileiros amam as mulheres. Mas as agridem em casa e fora dela. Brasileiros são moralistas e acham que roupa curta é coisa de puta. E brasileiros adoram cerveja, em especial aquelas dos comerciais com mulheres de roupa curta. Os brasileiros curtem as roupas curtas. Porque os brasileiros separam as brasileiras para casar das outras que estão sempre prontas para dar. Mesmo quando fingem não querer. O brasileiro sabe que elas sempre querem.
Brasileiros adoram futebol. E são os melhores do mundo. Mesmo que não sejam. Brasileiros são maiores em tudo. Quando não são vira-latas. Porque só no Brasil acontece o ruim. Ou o absurdo. Existem certas coisas só de brasileiros. Fosse no exterior seriam outras. Sempre melhores. Mas, aqui… são só brasileiros. Isso é Brasil. E segue lendo o texto enquanto baixa o .mp3 pirata.
O brasileiro trata bem a empregada, quase como da família. Mas se sente traído porque ela quis a carteira assinada. O brasileiro detesta imposto. E corrupção. Mas sonegar tá fora disso. O brasileiro sabe que assunto assim só é absurdo na mão do governante. Mas o brasileiro nunca elegeu quem o governa.
Há o brasileiro que reclama de como é difícil ser empresário no país. O brasileiro que dá desconto no serviço para encher mais o negócio. Desde que o desconto saia do bolso do sócio. Ou do empregado, que normalmente vive chorando miséria. Querendo aumento. O brasileiro é um ingrato. O brasileiro quer juro baixo e financiamento. Com alta taxa de retorno. E salário baixo. Dos outros, não o seu. O brasileiro tem ganância e quer o agora antes de qualquer depois.
O brasileiro acha que todo mundo deve ser tratado de maneira igual. Que pobreza não é desculpa. E que todo mundo tem oportunidades. O brasileiro acredita que basta o esforço. Por isso o brasileiro paga a escola particular pro filho. E a explicadora. E o cursinho. O brasileiro odeia cotas. Porque o brasileiro valoriza o mérito e o trabalho duro. Mas adora para si arrumar um jeitinho. O brasileiro tem amigos. E se amarra em um pistolão. Brasileiro bom é quem tem padrinho. Para não morrer pagão.
O brasileiro é mestiço. Mas é sempre branco. Ou moreno. Sempre mais claro do que é. Quer ser confundido com europeu. O brasileiro tem até amigos negros para mostrar que não é racista. Mas o brasileiro atravessa a rua se lhe vier um negro em sua direção. O brasileiro é tão bem humorado que conta piadas racistas só para mostrar que não tem racismo algum. E até acha que os negros riem.
Brasileiro adora criança. É o futuro da nação. Mas, se na rua, o brasileiro chama de pivete. E lugar de pivete é na cadeia. Até apodrecer. Mas dá seu jeito de burlar o que o filho faz de ilegal. Quem nunca fez besteira quando novo? O brasileiro aí é só uma criança. O brasileiro tem cor certa e cor errada. Direitos humanos só para brasileiros direitos. O brasileiro é gente de bens.
Mesmo assim, o brasileiro é cristão. Brasileiro tem deus até no seu dinheiro. E na Constituição. Mas a igreja não paga imposto. Porque o brasileiro acredita no deus misericordioso e que até é brasileiro também. Mas o brasileiro acha que bandido bom é bandido morto. Mas se choca com a violência. Por isso o brasileiro acha que tem mais é que passar o rodo em geral. Tá com pena? Leva o brasileiro pra casa.
O brasileiro, no final, não é nada disso que foi dito. Ou exatamente o contrário. E, ao mesmo tempo, é um pouquinho de cada coisa. O brasileiro é a mistura de suas próprias impossibilidades. O brasileiro é o improvável que mora entre o gênio e o estúpido. Poucos em um, muitos no outro extremo. O brasileiro é, na sua vida, a vida de todos os outros. Porque na dos outros vive-se a vida de cada um. É personagem de si mesmo. O brasileiro não sabe o que quer. Nem se quer. E se tiver, por que o quis. O brasileiro é orgulho e vergonha. É o responsável por tudo aquilo que reclama. Infelizmente, o brasileiro que são os outros somos nós mesmos."