quinta-feira, 7 de agosto de 2014

A ORIGEM DO MUNDO, GUSTAVE COURBET E O INTOLERANTISMO FEMININO

A Origem do Mundo é hoje a obra mais conhecida de Gustave Courbet
"A Origem do Mundo é hoje a obra mais conhecida de Gustave Courbet. Anteriormente, o título voltou para o seu enterro em Ornans, mas desde a sua revelação pública em 1995, quando entrou para o Museu d'Orsay, A Origem do Mundo tornou-se uma espécie de segunda Mona Lisa, mais explícita do que a Vinci. Sua reprodução, longa proibido circular na Internet e em França, pelo menos, a sua exposição não parece levantar qualquer emoção particular. É uma imagem quase como os outros, que podemos comentar um técnico olhar a habilidade com que Courbet sugere a textura da pele do abdômen e da ligeira curva de pêlos pubianos.

  Ao observar de perto a pintura, parece que levou o pintor um enrolamento respingo longo, de branco translúcido para mostrar a curva da coxa direita, que de outra forma teria parecido um pouco plana. Outros toques de branco misturado com um pouco de azul acentuar a curva da mama direita, a esquerda desaparecer nas dobras do tecido. Uma flange de luz suficiente para abrir os lábios do sexo e clarificar conformação como necessário. Courbet demonstrado pela sua capacidade de representar exclusivamente por meio de cor e padrão de luz que os pintores antes dele certamente não tinha ignorado, mas não tinha apreendido com a precisão ea sobriedade ele prova capaz em 1866. ..."(http://www.lemonde.fr/culture/article/2014/08/07/peinture-l-unique-origine-du-monde_4467831_3246.html)

Esse texto foi publicado hoje no jornal LE MONDE,   a complexidade desse quadro vai além da preciosidade em si, mostra como a sexualidade, como  o PROIBIDO é ainda, em pleno século XXI algo exageradamente exaltado, a imagem desse quadro sofre uma espécie de censura publica em praticamente todos os países, inclusive na tão celebrada e libertadora INTERNET, o facebook por exemplo chegou a cancelar sumariamente as contas de todas as pessoas que teimaram em colocar a imagem dessa obra de arte em seu aclamado e idolatrado mural, a questão é? por que exaltamos uma educação que proíbe o nu, por que excomungamos as prostitutas como se elas fossem seres inferiores, por que qualquer pessoa, mulher bem dizer,  que se mostrar com poucas roupas é ultrajada é desqualificada, por que todo recém nascido  é lindo nu, por que não temos vergonha de nossas crianças nuas, por que o corpo feminino é usado como pretexto para desqualificar esse mesmo feminino, por que  até hoje sentimos repulsa ao ver pelos pubianos, no fim tudo se resume mesmo, a educação, um tipo de educação seminarista, onde igrejas, a moral e a hipocrisia fez do ser humano não apenas um ser humano dotado de inteligência e etc, mais sobretudo dotado de uma capacidade intransponível de ser manipulado, de ser subserviente. O intolerantismo feminino é algo assustador pois nasce da nossa própria vontade em simplesmente criticar sem se importar o quanto machuca esse feminino, como  ser sexo oposto fosse prova de algo SUBLIME.

Adoramos proclamar e nos orgulhamos de nossa liberdade de expressão, liberdade isso liberdade aquilo, esse tipo de liberdade logico ,só tem importância quando realça nosso próprio egocentrismo, quando se trata DE RESPEITAR A LIBERDADE ALHEIA INDEPEDENTE DE QUEM SEJA E DO QUE QUER QUE SEJA, obvio, nesses momentos nossa liberdade se torna uma espécie de LIVRE-PENSAMENTO-HIPOCRITA-E-AGRESSIVO, para não dizer intolerante e ofensivo. FATO.

Apreciar esse quadro é o mesmo que apreciar um girassol de Van Gogh, tudo é uma questão de senso estético, fora isso, vamos concordar. o quadro é de fato uma OBRA PRIMA, observem os detalhes, magnifico.