quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

... UM TIRO NA CARA DO EDUARDO PAES E SERGIO CABRAL

Sem introdução por favor, vou direto ao ponto:



Não me interessa aquela ladainha que essa chuva de hoje aqui no Rio, equivale a chuva de 10, 20, 30 dias, o caos generalizado que se transformou essa cidade, é inadmissivel, e muito mais imperdoável é a passividade, a cara de pau, a desfaçatez, do senhor Eduardo Paes e do senhor governador Sérgio Cabral, o vagabundo desse prefeitinho passou toda a manha dando entrevista, falando merda, após merda, dizendo coisas de dar nojo, aliás é imperdoável também que emissoras aqui da cidade, fiquem entrevistando esse canalha, milhares de pessoas está, nesse exato momento presa em algum ponto na cidade, do estado,  presa dentro de um  carro qualquer, ou simplesmente presa nos telhados de suas residencias, hoje cedo também, teve um desses secretários dizendo que todo o efetivo da guarda municipal, e defesa civil estava na rua, MENTIRA, primeiro pelo obvio, a cidade parou literalmente, segundo que de fato não existia ninguém nas ruas, por que o senhor governador o tala do SERGIO CABRAL FILHO  não pediu imediatamente auxilio do EXERCITO, da própria policia militar, civil, por que a cidade nesse exato momento está literalmente ABANDONADO NUM CAOS GENERALIZADO.

Agora a pouco teve um desses jornalistas-apresentar dizendo que admira o humor do carioca, que nesse momento leva tudo na base da piada, da brincadeira.Como é que é, só pode mesmo ser  Palhaçada. Milhares de pessoas sofrem, estão desesperada, outras milhares perderam tudo, estão  hora sem poder sair do lugar, não existe piada, não existe brincadeira, o que há é decepção, e uma vontade incontralavel de dar um tiro na cara do senhor Eduardo Paes e do vagabundo, que adora levar para passear seu cãozinho de helicóptero o tal SÉRGIO CABRAL FILHO.

Desculpe o desabafo, mais numa cidade que nada funciona, nada presta, essa aberração de COPA DO MUNDO BRASIL 2014, E OLIMPÍADA 2016 chega a ser ultrajante para todos nós. carioca ou não, brasileiros ou não.

TERMINEI.