quarta-feira, 30 de outubro de 2013

...TODO PAI MERECE SER ODIADO



Em "Carta ao Pai", Kafka escreve: "...Por causa disso o mundo foi dividido em três partes para mim, uma onde eu, o escravo, vivia sob leis que tinham sido inventadas só para mim e às quais, além disso, não sabia por que eu nunca podia corresponder plenamente, depois, um segundo mundo, infinitamente distante do meu no qual tu vivias ocupado em governar, dar ordens e te irritares com o não cumprimento delas: e finalmente  um terceiro mundo, no qual as outras pessoas viviam felizes e livres de ordens e de obediência. Eu vivia sempre na vergonha, eu seguia tuas ordens, o que era uma vergonha, pois elas valiam apenas para mim: ou me mostrava teimoso, o que também era uma vergonha, pois como é que poderia mE mostrar teimoso diante de ti?, ou então não podia obedecer porque, por exemplo, não tinha a tua força, o teu apetite, a tua destreza, embora tu exigisses isso de mim como algo natural: mas esta era, com certeza , a vergonha maior. Desse modo se moviam não as reflexões, mas os sentimentos da criança".

EXISTEM 3 tipos de PAI, O PRIMEIRO é o de KAFKA, que graças, já está quase extinto, O SEGUNDO, é aquele pai que deixa tudo sob responsabilidade da MÃE, não importa se ele é podre de rico ou podre de pobre, as caracteristicas são sempre as mesmas, carinho, afeto, conselhos construtivos, e educação são coisas raras, o importante para esse pai, é ele suprir as necessidades básicas, entenda-se financeira. O TERCEIRO PAI sou eu, ajo como pai e mãe, até o ano passado levantava cedo, arrumava a roupa da minha filha, penteava o cabela dela e levava para a escola, ser pai é também ser mãe, é ser compreensivel, amigo e aberto a tudo que o filho, filha fala, é dar conselhos, agir com rigor quando se fizer necessário, e obvio, pedir desculpa de ambas as partes É TAMBEM necessário, e respeito idem, e por fim um apertado abraço e um meigo beijo de BOA NOITE é imprescindivel.

Se fosse irmão de FRANZ KAFKA, ou o próprio, possivelmente com um PAI desses teria, inevitavelmente escrito um livro com o seguinte título: TODO PAI MERECE SER ODIADO.

No primeiro paragrafo, trecho de ,  'CARTAS AO PAI' livro de  FRANZ KAFKA - tradução de MARCELO BACKES.