segunda-feira, 2 de setembro de 2013

OS FANATICOS NA BIENAL DO LIVRO RIO 2013



No ultimo sábado, em companhia de minha filha, me aventurei até a Bienal do Livro Rio 2013, sai daqui de Copacabana as 14:30 e só retornei após a meia-noite, é isso: para ir a Bienal, há de ser, sobretudo um FANÁTICO por livro, por literatura, pelo cheiro de livro novo , e a questão não se resume, apenas ao fator distancia, tem também os inúmeros engarrafamentos, as filas, e muito, muito mais, por exemplo: a questão de estrutura, da total ausência de organização POR PARTE DA Fagga E DEMAIS RESPONSÁVEIS, que chega a impressionar os motivos pelos quais se teima, ano após anos em se manter a feira no RIOCENTRO, um lugar totalmente inadequado para um evento que atrai moradores de toda cidade, e não apenas da Barra, dai que para ir até lá, só de helicóptero, o lugar não tem ônibus, metrô, na verdade não tem nem mesmo vias para receber o fluxo de automóveis, nem mesmo de jumento, chega a ser surreal num pais onde a cada ano se lê menos manter a principal feira do livro do pais, num lugar inapropriado, como ninguém vê isso?

É surreal também a quantidade de pessoas que consegue passar por tudo isso, e ainda assim sai da feira sem nenhum livro de 1,99 de baixo do livro, dá para entender?

Surreal parte 3 - Os problemas da BIENAL é tão notório e antigo, que nem a própria imprensa se prontifica, se interessa a noticiar. é aquilo , o inferno não é de todo ruim, tudo é uma questão de habito, de costume. Todos já se acostumaram com o inferno  RIOCENTRO, ninguém acha estranho, ninguém reclama.

OBS.: A Bienal do Livro Rio 2013, tá parecendo um grande e imperdível CONGRESSO de bruxas, vampiros, dragões, fantasmas e afins, tamanha a quantidade de livros e espaços dedicados a esses temas, eu mesmo fui obrigado a comprar um desses temas-livros cuja personagem tinha o nome, ou melhor tem o nome de DRACULAURA, alguém ai já ouviu, ou leu algo do gênero??? é hilário.