sábado, 14 de setembro de 2013

EM RARAS OCASIÕES, É NECESSARIO SIM, COMEMORAR A MORTE DE UM INDIVIDUO



Meses atrás, parte a Inglaterra comemorou em muitos 'pubs' , a morte da ex-primeira-ministra britânica Magaret Thatcher, a “Dama de Ferro”, o mesmo aconteceu nos EUA em relação ao finado Bin Laden, ou seja em raras ocasiões é necessário, diria até mesmo uma questão de moral a vida, de bom senso comemorara de forma enlouquecida (seja lá o que isso de fato signifique) a morte de certos indivíduos, de seres que enquanto vivo, não tiveram o menor respeito em relação a condição humana. Por isso estou aqui nesse debochado e alegre post comemorando de forma descontrolada a MORTE DAQUELE MALUCO ARIEL CASTRO (pouco importa se ele se suicidou). e a magnifica morte daqueles trio de canalhas que a pouco tempo atrás matou em São Paulo  o garoto boliviano Brayan Yanarico Capcha, assassinado com um tiro na cabeça durante um assalto de apenas 5 anos, tão somente por ter chorado durante o assalto, todos morreram, um após o outro, foram achados mortos depois de dias, e alguns casos em estado de putrefação, quase irreconhecíveis,, só restou um, e esse é apenas uma questão de tempo.

É preciso comemorara  sem nenhum tipo de dó ou clemencia hipócrita a morte dessas pessoas, é imprescindível dar uma festa de arromba para festejar o sumiço definitivo desses seres do convívio humano.

E dane-se a insuportável e fanática moral religiosa, meu único compromisso com a moral, é a que diz respeito a VIDA de seres comprometido com ela, com a VIDA.