quarta-feira, 28 de agosto de 2013

A MORTE DA LITERATURA RUSSA



A primeira palavra que me vem a mente quando leio algo sobre os EUA é: HIPOCRISIA, em relação a URSS e, ou a atual UNIÃO SOVIÉTICA é: LITERATURA, afinal lá é a terra de  Alexander Pushkin, Fiodor Dostoievski, Lev Tolstoi, Anton Tchekhov, Mikhail Lérmontov, etc.  uma legião de escritores de primeira grandeza, de uma literatura SUBLIME.

Lendo um livro de GILLES DELEUZE me deparei com isso: "A URSS perdeu sua literatura sem que ninguém o percebesse". É isso, ninguém percebeu  a morte da literatura RUSSA, há décadas não se lê, não se ouve nada vindo de lá, não sei, para ser sincero, se é uma espécie de desinteresse do monopólio que reina hoje no mundo literário como um todo no que diz respeito a tudo que se escreve hoje na RÚSSIA, ou, se é, o que acho pouco provável, a total inexistência de uma literatura atual, o fato é que o mundo ficou órfão do que existe de mais notável e SUBLIME na literatura mundial, órfão entre aspas, porque os clássicos estão ai mesmo.

Há uma terceira possibilidade, hipótese, as pessoas estão tão acostumadas do lixo literário produzido, escrito nos EUA e no REINO UNIDO, que a percepção do que seja uma literatura SUBLIME não existe, não alcança nosso senso critico.

Seja como for, ao contrario que muito intelectual afirma a literatura que chamo como SUBLIME, de fato morreu, desapareceu, seja em que idioma for. A mediocridade reina;

A BIENAL DO LIVRO- http://www.bienaldolivro.com.br/-  que começa amanha aqui no RIO , tem uma serie de convidados tidos como IMPORTANTES, advinha de onde são?? da HIPOCRISIA, logico.