quarta-feira, 29 de maio de 2013

PERGUNTA DO DIA: QUEM MORA NO 'LEBLON' é o que?: TROUXA , OTARIO , OU NOBRE



OK, de fato os moradores, provavelmente não sejam assim tão pobres, também não são trouxas, mais analisando este post no final todos vão concordar positivamente e literalmente quanto ao TÍTULO.

- O LEBLON é um pequeno e simpático bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro, assim dizem, área considerada nobrissima, quem lá mora é comprovadamente podre de rico, embora seja também um legitimo otário brasileiro;

- O individuo paga um IPTU mais caro do pais, lá tem os imoveis, e alugueis mais abusivos da América, não é só:  dia desse numa feira livre qualquer do bairro um quilo de tomate beirava os 15 reais, o do pão nosso de cada dia chega a 14, 15, 16 reais o quilo. É lá também que existe o supermercado mais autuado pela VIGILÂNCIA SANITÁRIA do Brasil quiça do mundo, seu nome: SUPERMERCADO ZONA SUL, nesse estabelecimento comercial é normalíssimo vender frangos podres, carnes podres, frangos frescos sem ser frescos, tudo coisa congelada e depois descongelada, para os nobres do bairro, os ovos no ZONA SUL chega a quase 5 reais a cartela com... 10 ovos.

- Os serviços públicos no nobrissimo bairro do LEBLON , como energia, serviço de limpeza, agua, e segurança publica é o mesmíssimo adotado e reprovado na LAPA, quem frequenta o boêmio bairro da LAPA sabe exatamente do que estou falando, é desolador;

Ou seja eis ai onde quero chegar, os moradores do LEBLON são literalmente explorados, assaltados por todos, pelos ambulantes, pelas empresas lá estabelecidas, e pelo próprio governo, e ainda assim pagam o preço abusivo por tudo o que não há, talvez aquela famosa paz existencial-egocentrica-hipócrita e etc e tal explique a famosa mantra dos moradores do bairro: O BAIRRO MAIS CHIQUE, NOBRE E CARO DO Rio de Janeiro.

Alguem duvida que quem mora no LEBLON é assumidamente e delicadamente um trouxa um legitimo OTÁRIO??

Se o LEBLON tivesse a metade dos INGREDIENTE DA POBRE URCA, talvez assim merecesse algum tipo de respeito da minha parte.