quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

'A MORTE' DE IVAN ILITCH, segundo TOLSTOI - PARTE III



No capitulo 'XI', Tolstoi escreve: "O medico dizia que os sofrimentos físicos de Ivan Ilitch eram terríveis e dizia a verdade: mas seus sofrimentos morais eram ainda mais tremendos que as suas dores físicas e eram aqueles que mais o torturavam.

Os sofrimentos morais provinham do fato de, naquela noite contemplando o bondoso rosto de maças salientes de Guerássim que cochilava, ter-lhe de súbito à mente a seguinte idéia: "E se na verdade minha vida, minha vida consciente, não foi o que devia ter sido?"

Ocorreu-lhe que o que considerava até ali como uma impossibilidade absoluta - ou seja, que tivesse vivido a sua vida de maneira contrária ao que deveria ter feito - podia ser a verdade. Pensou que os esforços que fizera para lutar contra o que as pessoas mais altamente situadas consideravam como bom, esforços apenas perceptíveis e que ele logo sufocava - é que talvez estivessem certos, enquanto tudo o mais não passava, sua família e seus interesses mundanos - tudo isso talvez não passasse de mentiras. Tentava defender todas essas coisas para si mesmo. Mas, de súbito, percebeu a fraqueza do que pretendia defender. Não havia nem mesmo o que defender.

"Mas se assim é - dizia consigo - e se deixo a vida com o sentimento de ter perdido, de ter estragado tudo o que me foi concedido, se isso é uma coisa irreparável, então como vai ser?""

O GRANDE DILEMA É: como viver de acordo com sua própria vontade, de acordo com sua própria opinião, seu próprio senso, como viver uma vida inteira sem ser falso, sem ser hipócrita consigo mesmo, como viver plenamente sendo você mesmo, ou de uma outra maneira, como viver sem agradar a moral alheia, a verdade, os costumes alheio, como viver sem se arrepender, sem deixar que a mentira se torne uma sarcastica farsa do dia a dia, de uma vida inteira, como??? como??? como????

Se existe alguma logica racional para o termo LIBERDADE e FELICIDADE é essa? viva para você, seja você, agrade primeiro a você,  não se trata de ser egoísta ou algo do gênero, se trata de dar prioridade a si mesmo em atitudes, pensamentos e opiniões, ou então faça como todos fazem, seja um hipócrita, viva uma vida de aparencias, de mentiras, afinal ser falso, ser hipócrita, ser fanático e mentiroso consigo mesmo, é e sempre será, o caminho mais curto e mais eficaz para se viver plenamente e satisfatoriamente de ACORDO COM A COVARDIA HUMANA. É muito fácil, comodo e pratico reivindicar a tal felicidade ou a tal liberdade eterna, o difícil e assumir-se como homem livre. Somente os covardes reivindicam uma vida de liberdade plena e felicidade eterna, somente os hipócritas se arrependem daquilo que poderia ter feito, ter falado e ter pensado. A VIDA É APENAS UMA, NÃO HÁ CHANCES, ESPAÇO e TEMPO PARA EMBATES POSTERIORES, isso tudo é FATO

CONTINUA AMANHA.