quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

'A MORTE' DE IVAN ILITCH, segundo TOLSTOI - PARTE I




Todos sabem minha paixão por DOSTOIÉVSKI, mais agora, depois de um longo e tenebroso inverno siberiano resolvi por livre e espontânea pressão (uma vez que o livro , eu simplesmente achei  em plena Avenina Nossa Senhora de Copacabana) ler a literatura de outro monstros russo, LEON TOLSTOI, de "Guerra e Paz' , "Anna Karenina', entre outros. Comecei por algo leve, o conto "A morte de Ivan Ilitch", que li de um folego só, na semana passada, quando disse leve, é no sentido de ser curto, não no conteúdo que é super pesado, já que trata de morte, sofrimento, morte terminal , este tipo de coisinha humanas.

Pois bem, no decimo capitulo, diante da morte iminente e do sofrimento absurdo, o autor escreve : ""IMPOSSÍVEL LUTAR', dizia de si para si -, mas se ao menos eu pudesse compreender por que tudo isto?".

Eis ai algo que chama atenção, afinal COMPREENDER, o que é exatamente isto, diante  da vida? compreender o sentido da vida, ou, o mais complexo tentar compreender o sentido da morte... A grande questão não é esta, e sim: como viver plenamente uma vida que consideramos INCOMPREENSÍVEL ?? Ao forçar COMPREENDER algo que está fora da nossa COMPREENSÃO, estamos deixando de lado a essência humana, A VIDA PLENA, e tornando nós mesmos seres pateticamente INCOMPREENSIVEIS, como se não bastasse ainda os famosos mistérios da vida, nós tornamos a vida simples pacata e plena em algo complexamente INCOMPREENSÍVEL.

CONTINUA AMANHA