domingo, 2 de setembro de 2012

"DO FALSO"



SETEMBRO CHEGOU, VIVA ROCHEFOUCAULD PARTE 2

"DO FALSO

Podemos ser falsos de diferentes maneiras. Há falsos que querem sempre parecer o que não são. Há outros, de melhor fé, que nasceram falsos, que se enganam a si mesmos e que nunca vêem as coisas como elas são. Há falso cujo espirito é reto e o gosto é falso. Outros tem o espirito falso e certa retidão no gosto. E há ainda aqueles que nada têm de falso no gosto nem no espirito. Estes são muitos raros porque, falando de modo geral, não há quase ninguém que não tenha falsidade em alguma parte do espirito ou do gosto....

O que torna tão universal essa falsidade é que nossas qualidades são incertas e confusas e que nossa visão também o é: não vemos as coisas precisamente como são, as estimamos mais ou menos de acordo com seu valor: não as trazemos até nós da maneira que lhes convém e que convém a nosso estado e a nossas qualidades. Esse erro de cálculo acarreta um numero infinito de falsidades no gosto e no espirito: nosso amor-próprio é lisonjeado por tudo o que se apresenta a nós sob as aparências ou nosso  temperamento, os seguimos muitas vezes por costume ou por comodidade: nós o seguimos porque ou outros os seguem, sem considerar que um mesmo sentimento não deve ser igualmente abraçado por toda espécie de pessoas e que a ele nos devemos apegar de maneira mais ou menos decisiva, segundo convém mais ou menos aos que o seguem..."

CONTINUA AMANHA