domingo, 19 de agosto de 2012

A VIDA E O CONFORTO EXISTENCIAL - PARTE III



A conclusão pode ser arrogante, mais é a que mais perto chega de algo tão logico-obvio como é o caso da vida humana:

A vida não é uma dadiva , a vida não tem nada de divino , sublime ou sobrenatural, assim também como não há   absolutamente nada de especial, a vida não tem um proposito, uma razão, ou algo filosófico do tipo. a vida é o que ela de fato é VIDA, uma vida tão importante como uma vida de um inseto, uma arvore, uma cobra, um macaco ou qualquer outro ser vivo terrestre, a vida é para ser vivida, enquanto ela existir, quem procura significado, quem procura uma razão, algo divino ou mesmo quem acha que há algo por traz de tudo e que esse tudo  tem, obrigatoriamente que ter um proposito, esquece do ESSENCIAL, de  VIVER. Nós não somos especiais, únicos ou qualquer outro egocentrismo do tipo, somos apenas um SER VIVO, entre trilhões.,

O resto, bom este resto é apenas o gene-deus, tão peculiar nessa especie de ser: HUMANO.