quarta-feira, 22 de agosto de 2012

A FELICIDADE, A DESGRAÇA E O BRASILEIRO



É de domínio publico, o brasileiro é famoso mundialmente por ser alegre, feliz, comunicativo, sensual, que não se abala apesar das mazelas do pais. E ai pergunto, qual a vantagem nisso,  qual a gloria de ser alegre feliz  e coisa e tal apesar de tanta desigualdade, qual o orgulho de ser feliz ao meio de tantas desgraças, não seria isso sinonimo de alienação de analfabetismo, de uma sociedade totalmente retardada???

Se nós estamos eternamente felizes alegres e satisfeitos com a nossa educação, nossa saúde, e todas e outras aberrações tão comum no nosso dia a dia, e ai interrogo mais uma vez, se somos acomodados, se somos subservientes com tanta podridão, qual o real interesses de nossos governantes de fazer algo produtivo, de mudar isso,como podemos cobrar uma maior eficiência nas instituições, na coisa   social, se nós pais, se nós cidadãos, se nós eleitores nos damos por satisfeitos, qual a possibilidade de tudo prosperar um dia?? Se a sociedade se acovarda diante de seus próprios interesses, como esperar que o pais prospere? Ou será que ter uma casinha, um computadorzinho, alguma porcaria do finado Steve Jobs,  um carrinho, ou uma geladeirinha  comprada em 12 vezes nas casas Bahia é o máximo de sonho que podemos almejar, é só isso que sonhamos, é só isso que desejamos para nossos filhos, para nosso pais, para nós mesmos??????

OBSERVEM, é comum: O sujeito que mora no moro, na favela ou comunidade tanto faz, adora bater no peito e gritar: - EU SINTO ORGULHO DE MORAR EM MINHA COMUNIDADE, não SAIO DAQUI POR NADA.!

A felicidade, a nossa alegria, é real, é bizarra ou é  a nossa própria desgraça disfarçada de alienação????

Quando uma nação abdica de lutar por seus próprios direitos, esse povo não merece sequer compaixão. E tenho dito.

Como esperar que algo melhore, que algo mude, evolua, se todos estão eternamente satisfeitos, reclamar, reclamar, reclamar, é só isso que sabemos fazer, é esse o máximo que podemos chegar, definitivamente há algo de muito esquizofrenico na sociedade brasileira.