segunda-feira, 23 de julho de 2012

A SURPRESA NO OLHAR



Todo olhar esconde uma surpresa, uma incógnita, uma tristeza, uma melancolia, ou mesmo um monstro. Raramente, muito raramente o olhar nos surpreende positivamente e quando isso acontece, observem, o horizonte é fúnebre, o olhar meigo , o olhar fraterno e carinhoso é sempre daqueles que já se foram.

É no olhar que esta a personalidade de cada um, é por isso que os olhos são a essência animal do ser. Muitos se encantam com o sorisso, com a  voz, com a fisionomia como um todo, porém são poucos que se encantam com os olhos, com o olhar melhor dizendo, eles são complexos, não se iludam , cada ser tem um olhar diferente, cada olhar é um enigma, é um universo.

Há uma única exceção, um único olhar que não há a menor possibilidade de haver surpresa negativa, de haver mistério, enigma, este olhar é o único, ele representa aquilo que gostaríamos que representasse cada olhar: uma surpresa agradável, onde a decepção é impossível. Esta exceção, este OLHAR esta presente no próprio ser humano, quase sempre não percebemos, ele é breve, sua duração é passageira, quando estamos quase acostumando ele desaparece. Esta exceção, este OLHAR, só se vê nos bebês, nas CRIANÇAS, nos pequenos e inofensivos seres, que de tão indefesos e inocentes não percebemos ou temos dificuldade de perceber o quão lindo e maravilho é o OLHAR DE UMA CRIANÇA.