segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A BARBARIE DIALETICA DE ANTONIO CEZAR PELUSO

 SEGUNDA OPÇÃO DE TÍTULO: SERÁ O MINISTRO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DO BRASIL UM DÉBIL MENTAL?

Por mais que tente, não consigo entender, como é possível um pais com mais de 200 milhões de mentes, de cérebros, de proporções continentais não possui UMA ÚNICA MENTE BRILHANTE, como é possível um pais tão rico em recursos minerais, ser tão pobre em recursos humanos, há décadas que não se vê ninguém a altura do BRASIL, há décadas assistimos nossas instituições serem comandadas por indivíduos sem nenhum tipo de qualificação, de inteligencia, muitas vezes sem escrúpulos, é por isso que hoje somos uma grande nação , grande nação SEM CÉREBRO.

Semana passada o presidente do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DO BRASIL o meritíssimo CEZAR PELUSO abriu o ano JUDICIÁRIO, e o que era para ser um momento histórico , algo para sua própria biografia, e não é que o cara, ao invés de fazer um discurso antológico, sublime, ele falou coisas simplesmente bizarras, frases tosca, que definitivamente o BRASIL não merece.

Entre uma ou outra bobagem, o nobre CEZAR PELUSO disse literalmente: " Só uma nação suicida ingressaria voluntariamente em um processo de degradação do Poder Judiciário. Esse caminho nefasto, sequer imaginável na sociedade brasileira, conduziria a uma situação inconcebível de quebra da autoridade ética e jurídica das decisões judiciais, aniquilando a segurança jurídica e incentivando a violência contra juízes e exacerbando a conflituosidade social num grau insuportável significaria um retorno à massa informe da barbárie", até ai nada demais, a grande surpresa foi no famoso 'dia seguinte', pois esta foi justamente a vulgaridade, ou melhor a banalidade que toda a dita grande imprensa publicou como manchete em seus jornais. Detalhe: a semana foi RECHEADA de momentos 'barbarie', teve aquela do PARA, em que uma multidão apedrejou um homem até a morte tudo acompanhado 'in loco' por representantes máximos da lei, da própria justiça a policia do PARA, teve a barbárie de São Paulo várias por sinal, há décadas o RIO DE JANEIRO vive sobre a barbárie, teve a barbárie da BAHIA, a do EGITO, etc etc, etc e tal, resumo , houve varias  exemplos de barbárie aqui e no resto do mundo, principalmente aqui no BRASIL o pais da felicidade e do carnaval, e no entanto a única grande BARBÁRIE que despertou o interesse da imprensa foi a barbárie dialética de vagabundo ministro do supremo tribunal federal Cezar Peluso. A grande pergunta é: Será CEZAR PELUSO um débil mental??? há década assistimos a barbárie no RIO DE JANEIRO, no PARA, em São paulo, EM Brasília, A BARBÁRIE NO Brasil É SINONIMO DE entretenimento, TODO DIA ACOMPANHAMOS SUPER INTERESSADOS OS CASOS MAIS BÁRBAROS PELA TELA DA TV, TUDO EM HORÁRIO NOBRE, TUDO ORGANIZADAMENTE PARA ALIMENTAR A MENTES DE ALIENADOS e IBOPE de afins. O presidente do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DO BRASIL na minha modesta e ridícula opinião é um DÉBIL MENTAL, um individuo doente, isto ele provou, durante o nefasto julgamento que manteve as atribuições do CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, durante a sessão era claro o descontrole de CEZAR PELUSO o sujeito estava totalmente descontrolado, no final fechou a sessão com uma piada envolvendo o próprio CNJ, no fundo dava para ouvir claramente os risos de alguns ministros, será que existem outros debeis??

O débil mental CEZAR PELUSO, deveria saber que quanto mais critica, mais embate, mais solida é a DEMOCRACIA. No Brasil presenciamos a décadas a barbárie no nosso cotidiano, isto existe justamente por que há uma especie de vácuo nas nossas leis e consequetemente na justiça, o pior porem é a indiferença do STF, os ministros parecem que vivem em uma especie de limbo, vivem em um lugar que aparentemente nada acontece, ou então eles se acham tão DEUSES que lá no seu reinado a felicidade é absurdamente verdadeira. Ridicularizar os vagabundos ministros do STF não leva a BARBÁRIE pelo menos no BRASIL, a ferocidade, a selvageria, a barbárie acontece justamente por termos uma nação repleta de mentes mediócres, onde a própria imprensa, mídia com receio de ser acusada de minar a tal da consolidação democrática é a grande representante dessa barbárie. Quando um povo, quando a imprensa perde a percepção do que seja ou não o ato de barbárie, bárbaro, é porque todos estão de fato felizes e a pior felicidade, é a felicidade de um individuo analfabeto, ele assiste tudo impávido, algo assustador.

OBSERVAÇÃO: O placar por 6 votos contra 5, demonstra bem a vergonha do primeiro embato do STF em 2012, portanto , outros momentos nebulosos, antologicamente escabrosos ainda estão por vim, 2012 promete.