domingo, 13 de março de 2011

A IMBECILIDADE DO 'ARREPENDER-SE'

Eu tenho um enorme desprezo por aqueles, que depois de muito passar, de terem os feitos os piores tipos de atos ilícitos e imoral, e monstruosos.  resolvem assim, sem mais nem menos arrepender-se/abolir para sempre o que se fez, como se o sujeito acordasse em um belo dia de sol.. de ressaca ou mesmo atrás das grades e resolvesse por si só, que daquele dia em diante irá se redimir de todos as porcarias que já fez tipo assim o cara acha que colocando uma bíblia de baixo do braço, vai ser perdoado e assim viver eternamente com sua consciência tranquila como se absolutamente nada tivesse acontecido, tivesse feito. É bom estas pessoas torcerem para que o Deus-Justo e Misericordioso não exista, porque se ele existir, e resolver aplicar o mínimo de sua justiça-divina, ele com certeza não terá o menor remorso de mandar todos para o quinto dos infernos.
 

O ser pensante, seja ele quem for, tem sempre a chance de agir com bom senso, com a razão e tudo de responsável que isto incorre, ninguém é obrigado a agir de modo irresponsável, sendo que se tem a opção do responsável. Ninguém é obrigado a fumar maconha, a se drogar, ninguém é obrigado a matar, ninguém obriga o homem a agir de acordo com sua própria decisão/consciência. Ao tomarmos uma decisão errada, temos que está consciente que é isto que nos irá separar dos justos e dos corretos, para o resto da vida. Independente de qualquer conceito religioso, o homem tem que atuar , viver sempre de acordo com a lei, ou então que se decida em viver em completo isolamento, de preferência no meio do deserto do Saará ou da floresta Amazónica ou  na Líbia onde o Anarquismo .esta quase predominando. Ou então... que se assuma definitivamente como um ser irracionalmente e monstruosamente  normal que é o que de fato, o que somos.


Quando se arrepende do que se fez, estamos nos acovardando de nossos próprios atos, e com isto assumindo nossa condição de imbecil, pois somente no estado de total imbecilidade podemos compreender a atitude de um covarde. O arrepender-se, não enobrece, não fortalece ninguém, ao arrepender-se estamos apenas mostrando o nosso lado covarde, imbecil e medíocre de ser.

O correto é assumir o passado, não importa o quão vergosonho isto pode ser. Assumir o que se faz, o que se fez,  eis aí uma bela maneira de se construir uma vida. Assumir os nossos atos, é tudo que almejamos, isto sim é bonito...... porque para os covardes sempre existe a possibilidade de se converter, seja lá o que isto quer dizer... mesmo que isto nada significa, nem sequer tem a capacidade de nos consolar.

O grande ser não é o que vive se arrependendo, e sim o que assume, a facilidade do 'arrepender-se' é que faz um covarde. Aí o idiota fala: todos tem o direito de mudar de opinião, de fato, é verdade, mais só os covardes se acovardam de seu passado inglório, e é desse 'arrepender-se' que me refiro, é bom deixar CLARO. Uma coisa é mudar de opinião e ainda assim ter grandeza suficiente de sustentar, de assumir suas atitudes passadas, sem que isto lhe seja vergonhoso, outra totalmente diferente é mudar de opinião e se esquecer, se esquivar, ou mesmo MENTIR, sobre algo que já se foi, já se fez. Como podemos ser justo, exigir justiça, se somos incapaz, de admitir a nossa própria fraqueza, incapaz de viver sem a mascara da falsidade, da imoralidade.

Assumir significa tomar para si a responsabilidade do que se fez, não importa o preço que isto doravante venha a lhe custar, importa apenas a consciência moral de procurar viver de acordo com as leis, os costumes que cada sociedade impõe.A questão é simples quem se arrepende esquece do que fez, e quem assume não esquece e com isto evita tomar decisões precipitadas, e consequentemente errada. Na verdade nós somos tão repugnante, que nunca percebemos que ao assumirmos nossos deslizes , nós estamos diretamente contribuindo para uma sociedade consciente, está é a principal finalidade de se assumir publicamente e pagar pelo nossos atos.

Bom, já que você conseguiu chegar até aqui , mesmo me odiado, ou ridicularizando, vamos em frente.... O arrepender-se, serve sobretudo para apaziguar o nosso erro, a nossa fraca consciência, com nós mesmo. Serve também para abonar o nosso crédito, da nossa ridícula moral, da nossa ridícula sociedade. Eis aí a questão principal deste tema. Entendeu?

Ou então, posso terminar assim: O arrepender-se , serve sobretudo para minar o nosso crédito diante de nossa nobre moral, nobre sociedade.... Tá bom assim, afinal quem sou eu para tentar discorrer sobre a verdade individual de cada um, da 'verdade da conveniência' de cada um.