terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O QUE AINDA NÃO FOI DITO, SOBRE DOSTOIEVSKI - PARTE 13

O que se pode dizer de DOSTOIEVSKI de sua obra, de sua personalidade, que ainda não foi dito e publicado???

Enquanto nós, brasileiros no alto de nossa inferioridade celestial lamentamos profundamente a aposentadoria de um "gênio do futebol", enquanto muitos morrem bravamente em uma sangrenta luta por uma suposta-hipócrita-falsa democracia plena, liberdade plena, enquanto o carnaval se aproxima, enfim enquanto o mundo arde por justiça, liberdade e fraternidade, EU aqui neste humilde e úmido canto, prefiro LAMENTAR A MORTE DE UMA DIVINDADE HUMANA, PREFIRO ENALTECER O NASCIMENTO DE UM GÊNIO DA LITERATURA UNIVERSAL, sim pode-se perfeitamente qualificar DOSTOIEVSKI um ser acima da media, um ser que provavelmente - como ele - não veremos novamente. Portanto é justo, é justíssimo HOMENAGEAR NESTE FEVEREIRO DE 2011 os 130 anos da morte do nobre russo, assim como os 190 anos de seu nascimento. VIVA ELE.

DOSTOIEVSKI não foi apenas um mero escritor, foi acima de tudo psicologo, filosofo, psiquiatra e cristão. Quando se lê alguns de seus clássicos se percebe claramente cada um desses profissionais  agindo permanentemente em seus personagens, em sua escrita. Qual outro escritor se iguala ao gênio RUSSO???? ninguém, William Shakespeare é de longe o que mais se aproxima, o problema é que é praticamente impossível qualificar toda a obra do bardo inglês como comprovadamente sendo dele, ou seja só por isso (só?) DOSTOIEVSKI é de direito e de fato o numero 1 da literatura UNIVERSAL, é obvio que reconhecer isso não é fruto de intelectualidade ou de alguns profundo conhecedor da  literatura RUSSA ou algo do tipo, reconhecer DOSTOIEVSKI como o THE BEST  é sobretudo reconhecer que o ser humano, apesar de todo seu lado tosco e inacabado, somos também um ser de uma mente magnificamente indescritível de tão SUBLIME. Qualificar o escritor russo como o numero 1 da literatura mundial é reconhecer que a mente humana é o que existe de mais enigmático, mais também é o que existe de mais PERFEITO. DOSTOIEVSKI provou com sua escrita que o homem enquanto homem tem o poder de transcender sua própria percepção dos fatos, de si mesmo e por fim de sua humanidade, provou que sim, nós somos superiores, ainda que esta superioridade só se percebe através de um quase intransponivel e sofrível sabedoria. DOSTOIEVSKI provou literalmente que o homem é o senhor de si, de seu mundo, de seu espaço e de sua desgraça, só ele tem o poder e ninguém mais. Sem querer, sem perceber,a  literatura de FIODOR nos ensina que, somos covardes, hipócritas e monstro por uma estranha opção pelo tosco, quero dizer, somos o que somos não porque de fato é nossa essência, apesar de estar cansado de afirmar isto, somos porque temos receio , medo de assumir o comando, temos o que chamo de covardia hereditária, passa década e mais décadas e cada dia estamos mais receoso, mais mediócre, mais hipocondriaco em relação a nossa saúde, fica e mental..

DOSTOIEVSKI provou que para ser humano no sentido literal , temos que abdicar da mascara, do avatar, temos que abdicar as vezes de coisas supostamente inseparáveis, como por exemplo de nosso egocentrismo, de nosso orgulho pueril. A escrita do russo, reúne o SANTO, o ATEU, O BÊBADO  e o EQUILIBRISTA cada um ao seu modo, nos ensina que o que precisamos mesmo é de TOLERÂNCIA. Tolerância com nossa própria personalidade, com nossa própria historia, tolerância com nossa própria capacidade, ou seria incapacidade, de aceitar que somos todos iguais, apesar das insignificantes diferenças pessoais de cada ser. Enfim o grande legado da genialidade de
Fiódor Mikhailovich Dostoiévski  é está, Falem o que quiser, só não falem que não somos gênio, só não falem que não temos consciência do que somos. Ainda que esta genialidade a cada dia é coberta por um intransponivel véu de MEDIOCRIDADE.