sábado, 11 de dezembro de 2010

O FIM DA CREDIBILIDADE DA IMPRENSA

O jornalista em geral, estes que batem ponto nos ditos grandes jornais brasileiros, que na verdade se resume a dois grupos ESTADÃO.COM e GLOBO.COM, adoram alardear que tudo que a INTERNET publica merece em primeiro mão ter o aval da própria imprensa para ter algum tipo de credibilidade, pois segundo estes nobres jornalistas a seriedade, a confiança de informação e a credibilidade isso tudo ainda é algo restrito a imprensa, credibilidade apenas eles tem, e que a INTERNET é um mar de idiotice, e a única coisa de relevante que existe, é justamente os grandes sites de noticias, ou seja, o próprio endereços deles na INTERNET.

No entanto nas ultimas 2 semanas toda a grande imprensa vem se alimentando única e exclusivamente de coisas, ironicamente, publicadas inicialmente pela famigerada internet, vide o caso WIKILEAKS. Mais ontem, dia 10 de Dezembro de 2010 a dita imprensa declarou formalmente o fim, pelo menos o fim de sua imaculada  credibilidade e confiança, vamos aos fatos:

- Ontem todos estes grandes jornais publicaram, COMO TENDO PESO DE VERDADE, OU DE ALGO IMPACTANTE, o que era na VERDADE TÃO SOMENTE UM PATÉTICO BOATO, publicado por um site de uma CONTROVERSA ONG com sede em BERLIM, pelo qual este informava que o governo do IRÃ havia libertada SAKINEH MOHAMADI ASHTIANI, condenada pelo regime iraniano "a apedrejamento por adultério e participação no assassinato do marido".

Eu já havia dito aqui, que isto mais cedo ou mais tarde aconteceria, é simples, o jornalista do século XXI é aquele babaca que fica 24h em frente a tela do computador PESCANDO NOTICIA, PESCANDO o que ele acha ser um FURO DE REPORTAGEM, resumo, dia 10 de Dezembro de 2010, dia que ficará marcado como o inicio do fim da famosa CREDIBILIDADE jornalistica, pois de agora em diante qualquer psicopata pode publicar na INTERNET, por exemplo que ontem o regime chinês assassinou 12.000 dissidentes acusados de subversão, que no dia seguinte estará nas manchetes de todos os jornais brasileiros.

O mais hilario disso tudo para não falar ridículo foi constatar que ao invés de fazerem uma espécie de mea culpa, ou mesmo de se desculparam a nossa estupendo IMPRENSA veio por bem colocar a culpa na própria ONG, que agora segundo eles tem culpa no cartono,  "...ONG que segundo eles cometeu erros parecidos no passado" publicou hoje o estadão.com,, só pode ser deboche.