segunda-feira, 18 de outubro de 2010

INTOLERANTISMO, A GRANDE PRAGA DA CIVILIZAÇÃO - PARTE IV

O mais desolador no INTOLERANTISMO é que quase sempre o sujeito ataca, mata, crente que esta defendendo sua honra, é como se no fundo ele não percebesse o mal que esta fazendo, e isto não tem nada haver com fanatismo, ou educação, é mais uma questão de convicção daquilo que se é, daquilo que fere sua concepção de integridade, de razão e de bom senso. Para o INTOLERANTE, quase sempre o diferente não é algo ameno, e sim algo a ser ridicularizado, menosprezado, ele não tem discernimento para analisar que somente respeitando o sexo, a religião, as opiniões, e o principal, a moral contraria a sua, é que ele será respeitado, para enfim ser tratado como um SER, e não um mero parasita-ordinário.

O sujeito INTOLERANTE é literalmente uma desgraça ambulante, pois ele não é do CONTRA, ele não QUESTIONA, não VERBALIZA, ele simplesmente fecha os olhos e silenciosamente te amaldiçoa, é como se existisse apenas uma UNA-RAZÃO, que obviamente é a dele. O INTOLERANTE é responsável direito por tudo de inaceitável politicamente, moralmente e religiosamente que a humanidade já presenciou e produziu, todas as atrocidades, todos os genocídios, todas as mortes com elevado grau de perniciosidade tem diretamente o dedo do INTOLERANTISMO.

Ao contrario que muitos dizem, escrevem e propagam não existe maldade, não existe o gênio do mal, assim como também não existe pessoa má, pessoa ardilosa, ou lúcifer e demônio, também não acreditem em satanás tudo isso é lenda, mentira, POIS A ÚNICA COISA QUE EXISTE, DE FATO,  é o INTOLERANTE, é a doutrina nefasta do INTOLERANTISMO. E só.