domingo, 5 de setembro de 2010

A MORTE DO JORNALISMO: BRASIL DE LUTO - PARTE IV

EU ADORO QUANDO AS PESSOAS DEBOCHAM DA MINHA ESCRITA, DA MINHA GRAMATICA, E DOS MEUS ERROS, ASSIM NÃO CORRO O RISCO DE SER CONFUNDIDO COM ALGUM PSEUDO JORNALISTA, pois se é algo que sentiria VERGONHA era se estivesse perdido meu tempo estudando JORNALISMO, não porque a profissão seja de todo imprestável, e sim porque ser JORNALISTA hoje, pelo menos no BRASIL, é sinonimo de PEDANTISMO("Qualidade ou característica daquele que é Pedante; Qualidade ou característica daquele que age com extrema arrogância, vaidade e alardeando conhecimento ou qualidades que em fato não possui; é a necessidade de auto-afirmação.")("No texto chamado "Do pedantismo", Michel de Montaigne busca refletir acerca da distinção entre erudição e sabedoria; o que pode parecer um pouco estranho, pois geralmente elas não parecem ser coisas distintas, ou seja, uma pessoa sábia é uma pessoa erudita. Contudo, essa distinção parece ser bem clara para o filósofo francês, se entendermos erudito como alguém que apenas domina um conhecimento, alguém que apenas ostenta o conhecimento como um bem cultural - uma bagagem cultural como normalmente as pessoas dizem. Nesse caso, portanto, aquela educação que tenha como fim apenas a retenção de conhecimento - apenas encher a nossa "bagagem" - seria uma educação pedante, visto que, não nos tornaria homens melhores, não nos prepararia para a vida. ")






Bom feito este logico esclarecimento vamos em frente... O jornalista hoje envergonha o pais do JORNAL DO BRASIL, envergonha todos aqueles nobres que já citei aqui como os grandes mestres da profissão, letrados formados doutorados ou não todos estes GRANDES da historia do glorioso JORNAL DO BRASIL, e quando escrevo JORNAL DO BRASIL digo em nome de todo um pais, de todo um continente. O jornalista hoje, não escreve por ideologia, não escreve com aquela vontade determinante, com vontade e estilo literário, não escreve para ver acontecer, de sonhar, de romantismo,com um pequeno grau de anarquia, não existem mais jornalista a nível nacional que escreve de forma desesperada , com aquela vontade de mudar algo, de contribuir para que uma injustiça não aconteça, não existe mais a VISÃO ETICA DO JORNALISTA na concepção do termo.Hoje o jornalista não tem nome, ele ´COVARDE, OMISSO ele é MONSTRUOSAMENTE PATÉTICO EM TODA A SUA IMPARCIALIDADE, e hoje mais do que em qualquer outra época se cristalizou, instituiu a ideia fixa e intransponivel de que a critica tem que ser EXAGERADAMENTE PONDERADA , RESPEITOSA, hoje por exemplo, não existe a palavra DEMAGOGIA na nossa imprensa, há um receio absurdo, patético de se estar contribuindo contra a democracia, com o enfraquecimento das instituição. A nossa imprensa adora alardear que hoje há liberdade de imprensa, de expressão no pais que tudo isto esta consolidado, que é um ganho para todos , para a democracia e consequentemente para a sociedade e imprensa, que não há o menor risco dela perder suas conquistas. E chega a ser interessante o desespero da imprensa nacional com o que está acontecendo com seus pares na ARGENTINA E VENEZUELA entre outras republiqueta. A nossa imprensa é tão pequena, tão pobre, tão sem relevo, e relevância, tão inocente, tão tão distante, que chega a ser irônico ela falar , ela ficar preocupada de que algo mude, em relação a sua suposta liberdade de imprensa. Como alguém pode ficar com receio de perder algo, de perder o que não existe, hoje a imprensa nacional não irrita nem o ex-governador do RIO DE JANEIRO o senhor GAROTINHO e família, a credibilidade de nossos principais-jornalista é minima, é ridiculamente ilusória, pouco importa se isto de fato é ruim , o que estou constatando aqui é o FATO, a realidade atual, pois como se sabe só a risco para a liberdade de imprensa onde a credibilidade, onde ela incomoda, onde ela é respeitada pelos poderosos. O que quero dizer que para despertar o ódio, a ira dos políticos , dos poderosos, das instituições, dos ladroes, a imprensa tem que ter CREDIBILIDADE, tem que ter voz ativa, tem que ser respeitada, tem que ter critica, tem que ter acima de tudo OPINIÃO e o principal tem que ter eleitor critico, eleitor participativo, tem que ter sociedade, um civilização , uma educação cultura para isto. Hoje você ler a parte de cartas de um jornal como o estadao.com.br e o GLOBO e fica por alguns instantes perplexo com a quantidade de pessoas que enviam e-mail abonando a opinião do jornal contra o caso RECEITA FEDERAL, do dossiê RECEITA FEDERAL só para citar o mais recente, fica parecendo que realmente todos estão demasiadamente revoltados, que todos são eleitores do SERRA, que todos são anti LULA , DILMA, que todos estão indignado com tanta PODRIDÃO. Acontece que estes TODOS, que colocam a bunda em uma confortável poltrona para mandar y-mail, são na verdade NADA do todo, a quantidade é tão insignificante que não chega a 0,0000000001 da população brasileira. A credibilidade só existe quando ela tem poder, quando ela é respeitada, quando ela exerce influencia, quando há reflexo na sociedade, quando a sociedade responde, toma consciência, quando existe resposta positiva por parte dos intelectuais. Hoje a imprensa nacional não corre o menor risco de perder sua fantástica liberdade de imprensa de expressão, suas fantásticas conquistas e por um patético motivo, ela não incomoda, ela não pertuba, ela é apenas um fantoche. Pergunta o que um LULA, um JOSÉ DIRCEU, um ANTÔNIO PALOCCI etc etc e tal, o que eles acham da nossa imprensa, se a resposta for dada numa mesa de bar e sem microfones, vai ser de uma indiferença-debochada antológica, o próprio LULA dias atrás falou literalmente em uma entrevista ao JORNAL DA RECORD o que ele acha da REVISTA VEJA, portanto a VEJA pode publicar o que for em termos de maracutaias petista que o presidente faz de conta que foi publicado no JORNAL DA MANHA de GOIÂNIA ou então uma bomba publicada pelo 0800 JORNAL DESTAK.

O BRASIL está de luto, o JORNAL DO BRASIL se foi, partiu. Infelizmente o luto continuara por longo anos, tempo suficiente talvez, para a imprensa acordar , para o jornalista recuperar sua credibilidade, sua honra , sua dignidade, sua importância e influencia, sobretudo sua influencia, sua importância SOCIAL, para que contribua enfim para que o pais reaprender a ter vergonha de sua próprias mazelas, O jornalista hoje é uma vergonha para o JORNALISMO, e se esquivar disso é abonar, ratificar sua própria insignificancia atual.,

Hoje o politico, as instituições ficam mais incomodados, preocupados com o que deles falam nos programas ditos humorísticos do que propriamente o que um ALUÍZIO MARANHÃO, uma MÍRIAM LEITÃO, um LUIZ GARCIA um.....escreve sobres eles. ...... tá, tá, não precisa me lembrar que realmente até para ser humorista tem que ter diploma de JORNALISMO... realmente é tudo uma GRANDE PIADA. Eis ai há que ponto chega a irrelevancia de nossa imprensa, um humorista incomoda mais que um jornalista. Alguem pode dizer que a função de jornalista não é incomodar e sim mostrar os fatos, criticar o criticável, condenar o condenável, mostrar a mais pura verdade, para que a sociedade as instituições façam JUSTIÇA, realmente para que isto tenha relevância há de se ter respeito e credibilidade, do contrario, fica parecendo que a imprensa de fato esta contribuindo para que muita podridão venha a tona, se isto fosse de todo VERDADE a candidatura da senhora DILMA ROUSSEFF já estaria sido cassada há tempos, assim como o s senhores RORIZ, SIQUEIRA CAMPOS, ROSEANA SARNEY, GAROTINHO e dezenas , e dezenas já estariam presos há meses, há anos.

Na ultima quarta-feira, dia 02, o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF)" liberou as emissoras a emitir opinião jornalistica sobre candidatos, como, por exemplo , em editoriais". Fiquei martelando.....Afinal qual real  utilidade disso, ainda que fossemos um regime baseado na ANARQUIA, nunca, mais nunca que um JORNALISTA TUPINIQUIM, ou mesmo, uma emissora, um jornal, uma empresa do ramo, teria coragem, ousadia de dizer algo além do convenientemente propagado e respeitado, tudo obviamente em nome da mesma democracia plena, aliás que democracia é esta que tem sempre a imparcialidade, a covardia e a omissão como alicerce. O JORNALISTA BRASILEIRO NÃO DEIXA DE SER COVARDE E OMISSO NEM SOB A PROTEÇÃO DA LEI.

Na democracia o que vale não é a seriedade , a solidez de suas instituições, e sim a seriedade, o respeito , a credibilidade que se tem, que se dá a sua imprensa.

------------------------
E por falar em SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL E  ELEITORAL..Agora a pouco fiquei sabendo que EM XAMBIOA - TO, a prefeita da cidade a senhora IONE LEITE está fazendo uma implacável perseguição politica contra petista da cidade, é bom , muito bom o TRE DO ESTADO DO TOCANTINS FICAR ALERTA COM A CIDADE, POIS SE ALGO DE GRAVE ACONTECER, NOVAMENTE, NA CIDADE O PRESIDENTE DO TRE VAI SER O PRINCIPAL RESPONSÁVEL, ATENÇÃO, ATENÇÃO POLICIA E TRE DO TOCANTINS, ALGO DE GRAVE ACONTECE EM XAMBIOA - TO(.http://conexaoto.com.br/2010/09/03/donizeti-pede-apuracao-de-possivel-perseguicao-politica-a-petistas-em-xambioa/(


E TENHAM TODOS UM MARAVILHOSO   Feriadão, VOLTO NA QUARTA-FEIRA