quinta-feira, 8 de julho de 2010

GOLEIRO BRUNO, LEI MARIA DA PENHA E A IDONEIDADE HUMANA

Para quem mora na cidade do Rio de Janeiro, por incrível que pareça, nada disso é novidade, entre os jogadores do Flamengo também não, basta perguntar para o PET o que ele acha do goleiro, a verdade é que todos sabiam o temperamento no mínimo violento do BRUNO. Porém duas coisas chama atenção para este episódio:

O PRIMEIRO: O completo alheamento da justiça, da policia quando se trata de ameaças e agressões ao sexo feminino, tudo é parecido, tudo se repete, tudo é igual, o sujeito agride, ameaça, ataca, em seguida a vitima denuncia e o que acontece, NADA, pelo menos por parte da policia e da justiça, e normalmente o agressor por ódio por ter sido denunciado, mais cedo ou mais tarde, termina por eliminar definitivamente a vitima. Ao que parece a LEI MARIA DA PENHA é apenas mais uma entre milhares que existem e que ninguém leva a sério.E com isto abre-se caminho para o proximo caso, a proxima vitima, o proximo assassino, parece exagero, mais a nossa JUSTIÇA, LEIS E POLICIA só serve como mais um, entre dezenas de mecanismo burocrático,de nossa famosa burocracia, estou exagerando????

O SEGUNDO: Neste caso do goleiro BRUNO, é a convicção que o individuo mostra em relação a sua própria versão dos fatos, do acontecido, ou seja, ele elabora friamente uma versão defensiva de sua verdade fantasiosa de sua inocência, e por ela ele vai as ultimas consequencias, morre mentindo mais não revela a verdade dos fatos, e não adianta as provas mostrarem o contrário, pois sempre e sempre o individuo vai afirmar com a maior frieza, naturalidade que é inocente, foi assim no caso Mercia e Nardoni em são Paulo e agora com o BRUNO aqui no Rio. O sujeito dá entrevistas com a maior naturalidade como se ele é que fosse a vitima, como se tudo fizesse parte de um nebuloso complo contra a sua pessoa. A naturalidade com que o individuo se vê diante dos fatos é que assusta, a frieza que o sujeito mostra em relação a sua própria monstruosidade é que me surpreende, a certeza que ele tem de sua inocência, é que é macabro, a capacidade que o assassino tem de se mostrar alheio aos fatos é o que mim da a absoluta certeza que estou no caminho certo quando em praticamente todos os post ATACO impiedosamente a famosa IDONEIDADE HUMANA, a famosa RAZÃO DA CIVILIZAÇÃO, e aquele papo furado que apenas uma minúscula minoria é má é ridículo,(o que nos falta, é, quase sempre, oportunidade para mostra o que somos, quem somos) para não falar compreensivel e justificável pare seres que não tem nada de humanos, somos apenas ser, e nem de civilizados. A NOSSA CEGUEIRA SOBRE SOBRE NÓS MESMOS, SOBRE A NOSSA PRÓPRIA CAPACIDADE É QUE MIM APAVORA.