sexta-feira, 16 de julho de 2010

A DEMOCRACIA E A JUSTIÇA NO BRASIL - PARTE II

- Justiça assim como a democracia, nasceram da vontade de se unir a 'perfeição e a ilusão', ainda assim muitos vivem nesta eterna ilusão, na expectativa de que por pior que seja nada se iguala a elas. É provável que seja por isso que rogamos tanto por justiça, tanto por liberdade de democracia, não que acreditamos fielmente nelas, a questão é, por mais que tentamos, por mais que reclamamos, nada se iguala a perfeição do que realmente deveria ser a nossa hipócrita democracia, e a nossa estupendo INJUSTIÇA JUSTIÇA;

- O grande problema do BRASIL é que a justiça não funciona, ela não é apenas maquiavelica em relação ao social e mesmo ao papel que a democracia requer, ela é acima de tudo e de todos abominável, pois além de não funcionar, como normalmente ocorre em qualquer outro pais que é levado a serio, aqui ela se tornou em um entrave, obstáculo para a própria democracia, basta ver os milhões de EQUÍVOCOS patrocinados por pseudo juízes, ela obstrui, trava, quase tudo que se relaciona a uma democracia plena, e com isto todo um país fica a mercê de um tipo de analfabetismo chulo, de uma cultura insignificante e amordaçada, e o pior de uma sociedade pacata em sua própria incapacidade de ter sua opinião para mudar, tentar mudar algo que seja;

- Chega a ser patético a arrogância de nossos supremos juízes, os pormenores de nossas leis, a macabra e desumana demora em processos ás vezes tão simples para a própria justiça, a infantilidade do processo judicial como um todo no Brasil é o que mais revolta, a nossa justiça por tudo isto chega mesmo a ser tão patética, tão infantil que é compreensivel que se pague 16 mil reais de salários por um misero PROMOTOR, afinal o SURREAL só existe porque temos a absoluta certeza que aonde há o patético, o ridículo e o bizarro tem que haver o ENTUSIASTA disso tudo. Pois como se sabe, o dinheiro para bancar está farra, é de todos , inclusive daqueles que morrem rogando por JUSTIÇA, tudo isto em uma democracia.

CONTINUO EM BREVE SOBRE O TEMA, este foi apenas um pequeno desabafo.