quinta-feira, 6 de maio de 2010

O INDIVIDUO E A INSTITUIÇÃO - PARTE III

Quando se tenta preservar o nome, a logomarca, o prédio, a historia a doutrina, ou seja lá o que for que caracteriza a tal da INSTITUIÇÃO,se está na verdade, depondo contra si mesmo, uma vez que INSTITUIÇÃO seja ela qual for é somente uma força de expressão, para reforçar o nosso fanatismo por algo que seja, por uma ideologia, uma crença, ou uma fantasia. Portanto quando se tenta deixar a instituição de lado, estamos apenas realçando o nosso próprio ponto de vista, o nosso próprio fanatismo cego e indisfarçavel.

Dia desse eu assisti um desses academicos de merda, o tal do LUIZ PAULO HORTA para ser mais explicito, dizendo que no final dessa serie de denuncia de pedofilia envolvendo a IGREJA CATÓLICA, a INSTITUIÇÃO, ou seja a IGREJA CATÓLICA é que sairá fortalecida, como se, : tudo bem, todas estas denuncias servirá de exemplo doutrinário para a igreja e mais adiante tudo será enterrado na mente das pessoas e da própria historia católica. Até aí nada demais, pois a IGREJA DE ROMA, ao longo de sua historia já fez e praticou monstruosidade mil vezes mais macabras e monstruosas que essas, e nem por isso foi criticada, foi punida ,como normalmente é de se esperar que aconteça, caso algo semelhante seja praticado por um individuo. No fim , o que fica é a mensagem de uma mente doentia, em que a pessoa, as pessoas, melhor dizendo, usa a INSTITUIÇÃO, como meio de preservar a imagem de algo monstruoso, como se a tal INSTITUIÇÃO fosse mais importante, do que seus erros, desvios, como se o individuo fosse o podre e a INSTITUIÇÃO o sublime, como se a instituição não fosse constituída por indivíduos, como se a instituição não fosse o individuo, como se não fosse o individuo que criou e fundou a instituição, como se a honra fosse o alicerce desta suposta INSTITUIÇÃO.

CONTINUA AMANHA