domingo, 23 de maio de 2010

A MORAL DOS COSTUMES - PARTE V

- Nós nos acostumamos a viver uma vida basicamente medíocre, também nos acostumamos a achar que toda essa mediocridade tem um sentido, um porquê. Os costumes existem para nos mostrar que,  por mais que tentamos, por mais que nos esforçamos e enxergamos, no final a resposta, será sempre a mesma, a mesma que é obtida por todos os animais, pensante ou não, racional ou não, ou seja a certeza intragável de que o homem é um animal como outro qualquer, com INSTINTO, habilidade e uma exagerada dose de arrogância. E que no fundo,os costumes não muda a essência animal, pois o costume de amar , não nos deixa menos violento e assassinos, os costumes que temos de valorizar a vida, não nos torna menos animal, o costume que temos de respeitar o próximo, não nos torna menos egoísta, o costume que temos de nos apaixonar, de ajudar o próximo, não nos torna menos indiferente, menos arrogante, menos monstro, animalmente falando. A sede animal continua a mesma;

- Qual a real utilidade dos costumes? para que exatamente serve os costumes? como seria o mundo, se não houvesse os costumes? Por que o homem leva tão a sério os costumes? Por que respeitamos os costumes?Por que se morre, se suicida, se humilha pelos costumes, em nomes dos costumes? Por que veneramos os costumes?

Responder tudo isto, é irrelevante, por um lindo detalhe:

Por mais que os costumes estejam enraizados na mente humana, por mais que os costumes representa em nossa sociedade, civilização, ainda assim, de nada serve, de nada representa, a essência, o instinto animal continua, e sempre continuara sempre o mesmo, pois todos sabem, apesar dos costumes travar sempre esta certeza, que os costumes pode aleatoriamente, e convulsivamente nos guiar, jamais mudar. Os costumes prende o homem, como prende a anta, o asno, e o jumento, o procedimento é o mesmo. Aliás a civilização humana, deveria tratar os costumes como uma espécie de entidade divina de instituição suprema, assim como fazemos com as religiões , pois é graças a ela que somos tratado como tal, do contrário seria semelhante ao nosso magnifico jumento. O mais Hilário nos ditos costumes humanos é isto, e só, nada mais.

CONTINUA AMANHA