domingo, 2 de maio de 2010

A MORAL DO COVARDE - PARTE II

- Covardia é uma ofensa par alguns, ninguém em sã consciência admite ser chamado de covarde, há não ser na mente de um masoquista. Realmente a covardia não é para se orgulhar, é apenas para se se INDAGAR, interrogar-se a si mesmo, afinal qual o homem que é bastante homem para assumir a suprema covardia de seus atos, digo, ausência de atos ,de atitudes. Novamente: afinal, covarde somos todos nós? ou, como sempre, covarde são os outros?

- Com o advento da INTERNET multiplicou-se o numero de covardes 'assumidos', eles surgem de forma agressiva, ridiculariza, menosprezam, humilham, difama, ofendem, tudo por trás de uma mascara, de um suposto anonimato 'avatar, como eles mesmos designam'. Os covardes da Internet são sempre bem vindos, pois, agora, como nunca, a covardia passou a ter STATUS.

- Há dois tipos de covardes o que se escondem por trás de uma mascara, e os que se escondem atrás de um PERSONALIDADE, o primeiro usa usa o ANONIMATO o segundo o CARATER, no entanto e portanto a COVARDIA de ambos é incontestável

- Eu sou assumidamente um covarde, e quem não é?? tá, tá, tá: assumo,. há sempre uma saída honrosa para os hipócritas.

- Há no dito mundo atual, uma necessidade desesperada por covardia. O covarde é um ser normal, é o amigo, é o vizinho, é o colega, ele é trabalhador, é honesto, as vezes é nobre, é honrado, é cristão, religioso, é o arrependido, é o santo, é o ingrato, todos estes são covardes, a covardia é o pseudónimo dessas pessoas. TEM DE SER COVARDE ATÉ PARA SER HUMANO.

OBSERVAÇÃO: Quando comecei a escrever sobre o tema, a intenção era descrever os diversos, infinitos tipos de covardes presentes em nossa sociedade, mais aleatoriamente, terminei por sair pela tangente, ou seja, em breve volto ao assunto, já que COVARDIA, é mesmo tema de fim de semana.