domingo, 30 de maio de 2010

INUTILIDADES DA RAZÃO DA SABEDORIA E DO INTELECTO

Todo animal, incluindo o homem, é irracional, todos tem um grau de inteligencia, e todos tem como habito usar esta suposta inteligencia para beneficiar a si mesmo. O instinto, a essência animal, não muda, quando este ou aquele animal demonstra algum tipo de raciocínio sobrenatural, e isto apenas reforça, a lógica que o irracional é de fato o que temos, comprovadamente o que temos, e todo aquele papo de razão, moral, intelectualidade, não torna o homem melhor e mais instruído perante ou outros animais, pelo menos não a ponto de torna-lo melhor, mais integro, digno ou seja lá o que normalmente os hipócritas adoram adorar. Quando se afirma que somente o homem tem a capacidade de distinguir o certo do errado, o bom do mal, temos que relembrar que esta distinção, percepção só existe graças obviamente aos instintos animal, que o fato de sabermos distinguir algo bom do ruim, não quer dizer que somos racionais, quer dizer apenas que ao escolhemos supostamente o lado certo como guia de vida, estamos seguindo o mais elementar, evidente, valioso e glorioso dos instintos animal, o de sobrevivencia, o resto pode-se perfeitamente incluir, na conta dos costumes e da mente doentia e fanática dos seres humanos.

A razão, o lado racional, a intelectualidade, tudo isso é inútil, não tem uma única serventia, pois o fato do homem ter a suposta capacidade de distinguir, de ter uma concepção , não lhe torna melhor, o homem não se tornou menos animal, nós apenas fomos adestrado para nos tornarmos melhor, menos rude, tosco, monstro, animal, mais que basta um mínimo de adrenalina, de medo, de poder para tudo vim a tona, para toda a irracionalidade se tornar explicita., Se a nossa razão, intelecto tivesse alguma serventia, utilidade, era de se esperar que o homem fosse outro, que tivesse havido uma mudança radical, na sua essência animal, que se pudesse encontrar um fio de civilização, de solidariedade, de racionalidade, compaixão e discernimento, era de se esperar que não houvesse discriminação, intolerância, preconceito, holocausto, e todas estas aberrações que nos torna tão irracional, tão animal. Eu sou comprovadamente um irracional, e quem não é? os hipócritas ou os moralistas?, estes com certezas preferem o véu, as imagens, a fé e a cegueira; A propósito, quem há, neste mundo de ser tão hipócrita, tão moralista, tão bizarro, tão humano, a ponto de ter coragem para me contradizer????!!!...????????//