quinta-feira, 22 de abril de 2010

SOLIDARIEDADE - OBSESSÃO NACIONAL - PARTE 2

A historia mostra, os fatos são incontestáveis, mais a grande e dura verdade é que a tal solidariedade humana proveniente da sociedade é no mínimo duvidosa, para não falar escandalosa, em um pais em que 98% de seus habitantes, precisa apenas, de 50 metros , para encontrar um nobre motivo para aplicar literalmente sua índole solidaria. De outra forma, se a nossa sociedade tivesse uma índole solidaria, era de se esperar que não houvesse tanta gente passando fome, tantos maltrapilho e desdentados. A inclinação solidaria deveria ser o único motivo humano, pelo qual , não poderia haver contestação, mas que, infelizmente o que prevalece é sempre o lado mesquinho e falso das pessoas, e quando todos resolvem se solidarizar por algo acontecido, é porque bateu aquele famoso remorso típico de quem tem culpa no cartório, como se para apaziguar o nosso poderoso egoísmo deve se, de vez em quando , balancear, com uma atitude humanitária.

No entanto está atitude só floresce, de tempos em tempos, quando há uma espécie de comoção midiatica, por algo sucedido, pois dai sim, como uma espécie de efeito domino em que o remorso bate na cara de todos através da midia, da telinha. E como um passe magica, aparece centenas e centenas de campanha solidaria, a própria midia se encarrega de cria-las e multiplica-las, e o mais extraordinario a adesão é tão linda, que as pessoas começas a doar, a DOAR, A DOAR, de uma forma tão ingenua e ao mesmo tempo tão sincera, que o termo SOLIDARIEDADE, OBSESSÃO NACIONAL, poderia perfeitamente ser verdadeira se não fosse por um desastroso e vergonhoso detalhe, a solidariedade humana, salvo obviamente como sempre, a raras exceções, é um caso único de comportamento dúbio, ou seja, que se presta a infinitas interpretações e nenhum deles , infelizmente, faz parte do rol da propagada bondade humana.

CONTINUA AMANHA