terça-feira, 9 de março de 2010

AUTOCRITICA - PARTE VII

A autocrítica no desenvolvimento de uma nação não é apenas um fator primordial, é também o que sustenta está nação, como exemplo típico e escancarado , cito o nosso presidente da republica o nobre LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA-LULA, basta ler a fala dele antes e depois da presidência para se notar, analisar que ele teve, porque não dizer, a humildade de fazer silenciosamente uma autocrítica demolidora de todo esse processo. Podemos debochar do LULA em todos os sentidos, menos que ele não tenha tido bom senso, coragem e determinação para fazer através da autocrítica, uma mudança radical no seu discursos, e o principal nas suas atitudes na presidência da republica, a sua autocrítica é o que podemos chamar de 'fator determinante', para o sucesso (sucesso?) de seus dois mandatos, sucesso este, por sinal que nem o seu mais fiel escudeiro, colaborador, puxa-saco, esperava que por ventura ele viesse a ter. Futuramente quando se discutir o legado do cara, será importante ressaltar que sua autocrítica é que determinou sua popularidade e consequentemente o único fator de sucesso de sua administração. Definitivamente , é bom lembrar, este processo não mudou o jeito de ser do homem-Lula, também não diminuiu sua ignorância, nem seus rompantes, no entanto lapidou drasticamente o Lula-presidente, e se ele está por aí hoje, firme e forte, foi graças a hombridade que teve consigo mesmo, e só, coisa de quem tem honra, goste-se ou não do cara, é isto que ficará para a história.

CONTINUA AMANHA