sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

JORNALISTA E O BLOGUEIRO ANALFABETO - PARTE II

Com isso criou-se uma espécie de barreira intelectual para todos aqueles "Zé- Ninguéns" que almeje ter um blog, pelo menos aqui no BRASIL, a maioria dos blogueiros são jornalista, ou seja, com isto termina, ou melhor terminamos por enterrar o sentido de 'liberdade de expressão' no seu sentido mais cru e democrático que se espera da INTERNET, ou melhor em seu grau mais elevado, incluindo aí, tudo que se espera disso no contexto da Internet,  ou seja, uma grande rede, onde se tem, ou deveria ter diversas opiniões para um único tema, pois como se sabe: o blogueiro-jornalista só escreve abobrinhas, que vem a ser aquele tipo de texto excessivamente conveniente para ele e para sua profissão , tudo, lógico, gramaticalmente bem escrito e bem entendido, mesmo porque a maioria esmagadora desses blogueiros-jornalistas são refém de sua própria conduta-moral-ética-jornalistica(jornalistica?).




É óbvio que tudo isso se refere ao blog 'nossa verdade inconveniente', pois aqui os comentários, quando alguém  ousa a fazer, não é para discordar, concordar, ou mesmo escreve um critica construtiva de algo que escrevi, aqui, a maioria, por não ter capacidade intelectual, ou mesmo por complexo de inferioridade (aliás, diga-se de passagem, algo bem nosso, bem brasileiro) preferem atacar o texto na ordem gramatical, como se para um texto ser reconhecido como tal, tem que ser obrigatoriamente ser escrito por um jornalista, ou algum desses cientistas políticos, bem brasileiro. Vai ver são os mesmos que endeusa a obra do nosso escritor maior PAULO COELHO e o nosso estadista da hora LUIZ INÁCIO. Eu adoraria que está pessoas tivessem a maravilhosa experiência de ler algo que tivesse sido  escrito por Paulo Coelho ou então uma carta de nosso Lulinha, isto obviamente do próprio punho, sem passar pelos ditos 'revisores de textos".


Como tenho um indesejável complexo de superioridade, de cinismo e de arrogância, vou repassar a todos um interessante link,quer dizer o texto na integra, que mostra um bonito e elucidativo debate entre este blogueiro semi-analfabeto, com mania de intelectual com um bando de jornalistas desempregados e alguns muito 'bem' empregados, isto é bom esclarecer, numa comunidade do orkut, coisa que definitivamente abomino, mais as vezes, costumava, pagar um mico, e como paguei, neste caso especifico(Comunidade JORNALISMO DO ORKUT):

EU:::::::::::E AÍ, ESTÃO SATISFEITOS?

Ontem a noite o Supremo Tribunal Federal decidiu, que jornalista não precisa ter diploma para exercer a profissão, foi sem duvida uma noite histórica, pelo menos para os filhotes de ditadura, que esperavam qualquer coisa que não fosse o óbvio da decisão. Penso mesmo que todos os estudantes e os jornalista de profissão os ditos profissionais tivessem que ter tido a obrigatoriedade de assistir pela TV justiça o julgamento que foi uma verdadeira aula em torno da liberdade de expressão e da imprensa, o voto do ministro relator Gilmar Mendes foi de lavar a alma, o ministro Aires Brito também , em sua breve justificativa para seu voto, deu uma verdadeira aula de bom senso. É claro que a função de jornalista, o profissional que estudou longos 4,5,6 anos para se tornar um profissional, é útil e continuará sendo, não tem como um jornal, de grande, médio ou longo porte ter futuro sem que não compartilhe da função do profissional, assim como é importante ressaltar 'que somente terão futuro aqueles profissional que tiverem bom senso , ética, com a profissão e acima de tudo bravura para irem a luta e lutarem bravamente por seu lugar, e não ficarem se lastimando, ora reclamando da profissão que escolherão, ora reclamando de si mesmo, ora reclamando do desemprego, um bandos de acomodados, isto sim'.(A comunidade está lotado desta turminha)

Portanto aplauso para a galera do supremo. Palmas para Gilmar Mendes, Palmas para o STF, palmas para a nossa justiça, que decidiram que de agora em diante jornalista é qualquer um que saiba escrever, que ama escreve, e que aja sempre de acordo com a ética e o bom senso jornalístico, independente de ser profissional ou não. E aí estão satisfeitos? 

Bru

É por essas e outras que precisamos de gente capacitada, revise o seu texto e depois volte aqui.
Ai queque eu tenho da nossa sociedade, olha só o tipo de gente que vai passar a escrever nos jornais, triste fim para o jornalismo. 

DJ Edy

CONCORDO !!!!!

Perfect 

Renato

Nossa, a Bru deu um owned no cara ! TENSO! AUHAHHEAHUHEUA! 
E para finalizar quero oferecer este post a minha segu

Renato

Todo mundo já nasce Jornalista!

Piadinha:

" Meu filho vai estudar, se não vc vira Jornalista

Yonélio

hauhauhauhauhauhauhau(gargalhada, não riso)

Nossa dona Bru, essa aí foi de doer...!

Concordo e endosso (rs)

Yonélio Sayd
Jornal Folha Regional
Livramento de Nossa Senhora(BA) 

EU:::::::::::::::::::L. A.

FIM DO DIPLOMA - E AGORA? Vão a luta....., ou será que vai haver uma onda de suicidio coletivo, é, pelo jeito, acho que sim....(a incapacidade mental de muitos desempregados - formados, não está no mercado ou na dificuldade de se colocar , e sim na sua própria capacidade de se sentir capaz, de confiar em si mesmo, principalmente quando um absurdo de 'jornalistas' se acham ameaçados por fantasmas, afinal se o cara passou 5, 6 anos estudando jornalismo, e ainda assim ele perde tempo criticando um fantasma, achando que este fantasma está lhe tirando um emprego.. são digno de descredito.... vamos deixar de reclamar um pouco e procurar batalhar... distribuiir curriculum cambada de acomodados desempregados...).. Ei você aí, acorda, o google está precisando de jornalista.......

Adm. Gisele

Finalmente, alguém q entendeu (Luiz). 

Ricardo.

E ninguem caaaaaala...esse chororôôô...chora o presidente, chora o time todo, chora o torcedor.... 

Ricardo.

Concordo com o Luiz!!! 

Bruno

A qualidade do texto do Luis resume bem o nível dos jornalistas sem preparo... 

Ricardo.

...Não falei do texto...falei da idéia. 

Yonélio

Massificando o óbvio

Essa comunidade mostra que a carreira do futuro jornalista acadêmico deveria ser mesmo extinta.

Mil tópicos criados e quase ou nenhum argumento que se aproveite.

De milhares de besteiras postadas, nadinha, nenhum conteúdo que tivesse pelo menos um pouco de razão que justifique a choraminga desse povo.

Só questiona o diploma, como se este tivesse sido extinto.

Não observam que a contratação dos profissionais de imprensa vai ficar como sempre foi: a critério dos jornais e demais veículos de comunicação que, certamente, vão continuar só empregando bons jornalistas.

Além do mais, mais vale a regulamentação que a exigência de diploma.

Com a regulamentação, o diploma sim, será fundamental para obtenção do Registro Profissional.

Nossos futuros “colegas” já seriam reprovados nos Enem’s da vida se fosse quesito de avaliação a opinião dos alunos acerca desta decisão dos ministros do Supremo Tribunal.

Com todo o respeito, com todo o respeito.

Mas...

Yonélio Sayd
Jornal Folha Regional
Livramento de Nossa Senhora(BA) 

Elaine

Sim, claro que sim!

1- Movimentação nenhuma junto a parlamentares tem poder de revogar uma decisão do STF.

2- Quando vocês dizem que pedirão indenização pelos gastos com a faculdade, estão concordando que só estudaram pelo diploma.

3 - O diploma continuará valendo, pois as empresas ainda dão mais importância a quem é graduado.

4 - Para ser publicitário no Brasil não é preciso diploma de graduação. Mesmo assim, os cursos superiores nessa área não deixaram de existir. E olha que são muitos os cursos e a procura por eles.

5 - A grande questão é qualidade? Que lutemos então para que todos os jornalistas, formados ou não, façam teste para conseguir o registro profissional, assim como existe no meio artístico (atores) e entre os profissionais de direito.

6- Nos EUA não há a obrigatoriedade e jornalista lá não ganha mal.

7- Está no mercado quem tem competência, com diploma ou não.

Sou formada pela Universidade FEDERAL do Pará, mas tudo o que aprendi foi na prática, nas redações.

Outra coisa, qualquer um não pode ser jornalista. Sabiam que para tirar o registro é preciso provar que é jornalista? Isso mesmo. O cara tem que ter no mínimo um calhamaço de impressos assinados por ele. Depois tem que encaminhar à DRT.

Meu marido não é graduado, mas provou perante a justiça trabalhista que tinha mais de 15 anos vivendo do jornalismo. Só assim pôde receber o registro profissional há 2 anos.

Como já disse antes, batalhei para entrar numa federal e me formei, mas até hoje aprendo muita coisa com meu marido que não estudou jornalismo.

Aconselho a todos não desistirem da faculdade. O diploma tem valor, e muito. Vocês terão um diferencial, terão nível superior, poderão prestar concurso para muitas áreas.

Mas não podemos mais impedir que vocacionados que já trabalham na área possam exercer a profissão. 

Yonélio

clap, clap, clap!

Grande Elaine.

Finalmente uma postagem lúcida.

Parabéns!


Yonélio Sayd
Jornal Folha Regional
Livramento de Nossa Senhora(BA) 

Ricardo.

fica a dica...escrever é a parte mais fácil... 

Ricardo.

uahuahuahua...ow os caras são tão mediocres que fogem das discussões...um tal de bruno, que lamentou em outro tópico pela grana que o pai dele gastou na faculdade...falou que ter idéias qualquer um tem...mas apagou o post depois da minha resposta....

to vendo que tem idéia, filho. To vendo 

Ricardo.

é o mesmo Bruno?? Ou só usa das mesmas táticas?? 

Michel

sim.. satisfeitíssimo!!! 
EU::::::::::::::::::::::MAIS DO MESMO:

Em sua coluna de sabado a jornalista Miriam Leitão, comentou sobre a questão, e terminou assim: "O importante é que do jornalista será exigido tanto formação, quanto talento; tanto técnica, quanto inovação. Parte disso será obtido em cursos de formação, parte será nas redações. Quem entender que a hora é de estudar menos ficará para trás"

No mesmo sabado, e no mesmo Globo....: "O presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, afirmou ontem em S. Paulo que a decisão da Corte de acabar com a profissão de jornalista é irreversível. Segundo ele, o registro profissional junto ao Ministérioi do Trabalho, antes obtido só com o diploma do curso de jornalismo, "perde o sentido".
- Esse registro(no ministério) na verdade perde o sentido. Aquilo que eventualmente exigir o registro não terá nenhuma força juridica.
Para Gilmar, não será "viável juridicamente" a eleboração de uma nova lei de regulamentação da profissão de jornalista, com a exigencia do diploma, como foi sugerido pelo Ministro das Comunicações , Hélio Costa.

- A regulamentação, se for o caso, será considerada inconstitucional - afirmou. - O registro não tem nenhuma força jiridica.

Gilmar voltou a dizer que a decisão de acabar com a regulamentação da profissão de jornalista deverá criar um "modelo de desregulamentação" de outras profissões que não exigem aporte cientifico e treinamento especifico".

Resumindo: Vamos levantar a cabeça, e colocar - literalmente - os pés na estrada, por que quem ficar chorando..... vai ficar para trás, profissional ou não. Esta é a realidade de agora em diante. Ou seja, qualquer outro tipo de discussão, debate que foge deste contexto, perde a importancia.
idora anônima DONA FLORINDA, ela realmente é , como direi.. fã numero 1 do blog, aparece de tempos em tempos  para detonar, criticar e olha que suas criticas, são qualquer coisas, assim de com um tipo de humor bastante felino e hilário, de qualquer forma, sempre que dona FLORINDA escreve um comentário, ela me faz lembrar "quem eu sou e não quem eu penso que sou". Para ler os comentários de dona FLORINDA, é só entrar na versão portuguesa aqui do blog , com link aqui ao lado.

As vezes fico imaginando, e se este blog fosse liberado para comentários, já imaginou, quantos professores iriam me desqualificar, humilhar e ultrajar????....!!!!

João Paulo

LUIZ ALVES...

Seu nível é compremetedor! Não dá nem mesmo p/ vc iniciar a carreira já que todo o jornalista começa como REVISOR de texto. Quem sabe vc estudando um "pocadinho"...e com muito esforço...vc chegue lá!

DELETADO

analise do tópico ( pra descontrair um pouco)

assim como é importante ressaltar 'que somente terão futuro aqueles profissional que tiverem bom senso , ética, com a profissão e acima de tudo bravura para irem a luta e lutarem bravamente por seu lugar, e não ficarem se lastimando, ora reclamando da profissão que escolherão, ora reclamando de si mesmo, ora reclamando do desemprego, um bandos de acomodados, isto sim'.(A comunidade está lotado desta turminha)

Aqueles profissional - me lembra o Chico Bento falando
Irem a luta e lutarem - ufaa achei que fossem a luta para vender pipoca
Profissão que escolherão - "mas se ainda não escolheram para que lutar?"
Um bandos - é o coletivo masculino de Umbanda
A comunidade está lotado - "pensei que estivesse lotada" 

DELETADO

continuando...

Portanto aplauso para a galera do supremo. Palmas para Gilmar Mendes, Palmas para o STF, palmas para a nossa justiça, que decidiram que de agora em diante jornalista é qualquer um que saiba escrever, que ama escreve, e que aja sempre de acordo com a ética e o bom senso jornalístico, independente de ser profissional ou não. E aí estão satisfeitos?

*a galera do supremo - "fico imaginando o mano brown chegando lá no supremo dizendo: e aí galera o que tá pegando nessa bagaça de votação?
*que ama escreve - "seria tipo a campanha: quem ama bloqueia?"
*aja - "essa foi de cair o cú da bunda, aja o que ajar"

O pior é que teremos jornalistas nesse naipe, aos montes por aí... 

LA BELLE...

Falou tudo, cara(o) G. Perlatti. E conseguiu não falar nada também. Você poderia deixar de rodear tanto na caça do seu próprio rabo e chegar direto ao assunto. Tem jeito? Seja mais claro, por favor. 

DELETADO

Ok Sr. Fake azedo, o que eu quis dizer com os meus posts é que o cara escreve feito meu sobrinho que está na 5ª série e esse tópico pra mim foi uma piada, por tanto resolvi enfatizar os trechos mais "ortograficamente nebulosos" deste tópico malfadado... 

Alexey

Eu fico pasmo com a quantidade de jornalistas que deu piti pelo fim da regulamentação. Ora, apenas 0,3% das profissões brasileiras são regulamentadas pelo governo [este número NÃO é chutado]: ascensorista, camelô... além destas, são regulamentadas as profissões que causam risco à saúde ou podem conduzir a sério dano [médico, engenheiro, etc].

A regulamentação da profissão de jornalista é herdeira direta do período da ditadura, no final da década de 60, quando o Governo queria se imiscuir no poder da imprensa, e baixou esta norma que exige que um jornalista seja alguém formado por uma Universidade. Não existe melhor forma de coibir a capacidade de comunicação de um povo do que impedir as pessoas de escrever. Tempos atrás, houve até uma proposta bizarra de que só poderia escrever um livro quem fo

Alexey

Minhas duas faculdades são Astronomia e Filosofia, nenhuma das duas atividades é regulamentada - não é preciso diploma para dizer-se filósofo ou astrônomo, apenas experiência e senso de ridículo. Um publicitário pode sê-lo sem ter se formado, basta ter competência e demonstrar notório saber. Fiz as duas faculdades não por causa de um diploma [símbolo menor de um projeto maior de vida], e sim para aprender com os mestres.

Continua sendo altamente salutar que quem deseja seguir a carreira de jornalista faça uma faculdade, mas considero excelente o fim da obrigatoriedade de diploma para que uma pessoa possa escrever num jornal, ou fazer entrevistas.

Já perdi a conta de quantas entrevistas eu fiz para uma certa revista, mas no lugar do meu nome saiu o nome de um jornalista formado, que não escrevia nem um décimo do que eu escrevo, pois o conselho editorial achou que "pegaria mal" que eu, um não-jornalista, conduzisse uma entrevista. Já editei um jornal em Salvador, e tive que me submeter a PEDIR O FAVOR a um jornalista amigo para que assinasse cada edição, como "jornalista responsável", o que é uma palhaçada.

Conheço uma garota que deu e está dando um pití, dizendo "e meu diploma?". Ué, desde quando o fim da regulamentação invalida ou tira os créditos por um curso bem feito? Se a pessoa cursa jornalismo para aprender e se tornar um bom jornalista, ótimo. Se o faz apenas por causa do tal diploma, não é um jornalista, é um pobre coitado... 

Gustavo

me desculpa, mas astronomia é uma ciencia
e se faz necessario um curso superior 

Alexey

Gustavo

Me desculpe, mas você está enganado.

Para ser astrônomo, você pode se formar em Astronomia ou em Física, ou SIMPLESMENTE ser um astrônomo autodidata que foi reconhecido por seu notório saber.

Você está confundindo astrônomo com cientista financiado pelo CNPQ, FAPESP, etc. Para receber bolsa de pesquisa por estas instituições, realmente é preciso estar na faculdade, mas para se dizer astrônomo, não.

Em geral, as pessoas discernem o astrônomo formado do não-formado ao dizerem "fulano é um astrônomo amador" [para os não-formados]. O título "amador" desaparece quando a pessoa faz algo de significativo, como no caso de uma garota de 14 anos que descobriu uma supernova. Ou, vale citar, o caso de Clyde Tombaugh, um garoto de 24 anos que não tinha diploma universitário algum e descobriu Plutão no observatório construído por Percival Lowell.

Procure pelo catálogo de profissões regulamentadas e você verá que "astronomia" NÃO figura entre elas.

Há uma confusão entre regulamentação e AUTO-regulamentação. Os astrônomos contam com associações representativas, tais quais a IAU e, aqui no Brasil, a SAB. Nessas associações, a massiva maioria é composta por pessoas formadas, mas abrem-se exceções para pessoas que, mesmo não sendo formadas, têm larga experiência como astrônomas.

A regulamentação de uma profissão obedece a dois critérios:

1. Causa sério risco à população? Se sim, tem que ser regulamentada.

2. Reserva de mercado, pleiteada pela classe organizada [caso dos camelôs e ascensoristas].

A Astronomia não se enquadra nem no primeiro caso, nem no segundo. 

falaram aqui que o presidente está chorando

acho meio difícil colega o presidente é Corintiano e Ronaldo tá com tudo...rss 

Alexey

Eis uma lista...

...das profissões regulamentadas no Brasil:
http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/regulamentacao.jsf
As pessoas confundem "regulamentação" com "respeitabilidade". Procurem, nesta lista, profissões altamente respeitáveis, e vocês não a encontrarão.
Notem que a regulamentação da profissão de jornalista tem uma data toda especial: 1969. Estudem História [outra atividade não-regulamentada... hehe...] e vocês entenderão o que estava por detrás das motivações da regulamentação da profissão de jornalista

Alexey

Eu só vejo vantagens na queda da regulamentação: agora, mais do que nunca, os jornais estão livres para contratar as pessoas por sua COMPETÊNCIA, e não por conta de um diploma [hoje em dia, qualquer Zé Mané se forma em qualquer coisa].

Quem perde com isso? Ninguém, na verdade nós ganhamos, na medida em que pessoas altamente competentes, mas com outras formações ou mesmo sem formação universitária, poderão pleitear uma vaga de trabalho - que o jornal dará se quiser, se confirmar a competência do sujeito.

É claro, os jornalistas formados agora terão de enfrentar o aumento das possibilidades de concorrência. E isso é ótimo, pois sem a GARANTIA ABSOLUTA de uma contratação por conta da quebra da reserva de mercado, quem é bom vai ter que se virar para ser melhor ainda. Agora, o concorrente não é apenas o outro que tem um canudo. O concorrente é qualquer um. E é a livre concorrência que garante a sobrevivência do mais apto, do mais competente, e não daquele que - muitas vezes - se formou, mas está abaixo da média.




EU::::::::

Só hoje tive TEMPO de ler as respostas do tópico: Realmente galera estou precisando de um REVISOR DE TEXTO... para o meu blog(XAMBIOA NOSSA VERDADE INCONVENIENTE....pesquise no google meu filho) salário? 3000, mais a maravilhosa oportunidade de revisar os textos de um genio..... afinal em uma comunidade que muitos se acham verdadeiros "jornalistas" , porque não posso me considerar um genio?.(e-mail para xambioa@ymail.com).

O Google continua contratando jornalistas para função de revisor de texto do.......ORKUT.

E para finalizar, pelo menos que eu saiba está não é uma comunidade , somente para jornalistas graduados e pós... é acima de tudo para os apaixonados pela profissão, e é mesmo uma pena que vocês que viveram a maravilhosa oportunidade de se graduarem, percam tempo, em debates tão ridículos, é mesmo uma pena que vocês fiquem tanto tempo em frente a telinha se lastimando, reclamando, enquanto que muitos queria pelos menos a metade da oportunidade..... é mesmo uma pena que a comunidade esteja lotada de genios mas que são incapaz de se definirem como tal, preferindo a incrível sensação de se comportarem eternamente como meros seres inútil, que não consegue enxerga nada além de sua própria imagem de jornalista desempregado.

Realmente eu não tenho sequer o antigo segundo grau, mais no entanto não abaixo a cabeço e não me sinto inferior a nenhum dos muitos que perderam seu maravilhoso TEMPO (Tempo?)para me criticar.

E TENHAM UM MARAVILHOSO MES DE JULHO..

Em um país que Lula tem status de intelectual e Paulo Coelho de escritor, por que eu não posso ser jornalista ...

Pensando bem acho que vou chorar...... de rir........................Isto aqui é Brasil galera, a terra da sociedade alternativa............................

(continua amanha)