segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A VIVACIDADE DO VIVER - PARTE 8

Há de se imaginar (afinal, imaginação não é o nosso forte) que o homem atual, vive em um estado de total perturbação mental , ocasionado principalmente pela linda animosidade patrocinada por equipamentos ultra moderno, onde nos leva em um estado de alucinação, e fascinação, nunca visto antes, ou será, que alguém em sã consciência acha normal um individuo que passa 4, 5, 6 horas DIARIAMENTE navegando na Internet, ou então aquele outro obcecado por todas as maravilhas literária publicada todos os segundos pelos twitter da vida, se isto, é norma psicologicamente, psiquiatricamente falando, então, tá, abram alas que o santo tá chegando. A televisão, a Internet e os demais porcarias tira o homem o controle sobre seu próprio sentido de tempo e consequentemente da vida, isto é, sem perceber estamos vivendo bem menos que os nossos avós, o tempo que se perde com banalidades comprovadamente fútil, é compreensivel no contexto que hoje se entende como ociosidade, mais altamente prejudicial ao 'vivacidade do viver', perdemos um precioso tempo e obviamente a velhice chega e não percebemos, e é bom lembrar , envelhecer com saúde, não chega ser a maior vantagem, o bom mesmo é envelhecer assistindo de camarote a vida passar, do contrário fica parecendo que somos parte das porcarias-eletronica. Então fica combinado: hoje, as pessoas sofre da 'síndrome da alienação eletronica', que vem a ser uma forte perturbação mental, onde o principal sintoma é o deboche que se tem pela importância de seu tempo de vida, onde todos estão compartilhando o mesmo conteúdo conectado em um tema eternamente em voga, O LIXO PESSOAL DE CADA SER, é por essas e outra que vou continuar sem computador pessoal. (Continua)