domingo, 29 de novembro de 2009

LULA NO CINEMA

O assunto do momento em matéria de cinema, não é a estreia vitoriosa de "Lua Nova", que bateu o recorde para o primeiro dia de exibição, o filme rendeu quase 73 milhões de dólares, também não é o apocaliptico "2012", muito menos o controverso "Bastardos Inglórios", ou o polemico e assustador "Anticristo". O grande assunto mesmo vem com o singelo titulo 'LULA , o filho do Brasil', e olha que a estreia está programada para o dia 1 de Janeiro de 2010, no entanto devido a pré-estreia, já começou o burburinho, a revista Paulista VEJA, trouxe esta semana a seguinte manchete: LULA, O MITO, A FITA E OS FATOS(Pago por empresas privadas com interesses no governo, o filme sobre a vida do presidente é um melodrama que depura a sua biografia, endeusa o politico e servirá de propaganda em 2010), aliás está tem sido, de modo geral, a tônica da imprensa , quando se refere ao filme, do Lulinha, é como disse sábado passado dia 21, em sua coluna o filho das ex-organizações BLOCH: - "'Lula, o filho do Brasil', em portentosa romaria marquetológica a um ano das eleições que decidirão os rumos do seu legado, lança os pilares de um grande sucesso comercial que poderá se converter em êxito politico...". Atá aí nada demais, não é mesmo nenhuma surpresa a retórica furada da imprensa a respeito de tal filme, mesmo porque em matéria de critica ao Lulinha, sou mais eu, e voltando ao tema, segundo a opinião de quem assistiu, o filme é um desses melodramas típico de novela da Gloria Peres, da rede globo, com direito a sensacionalismo ao extremo, e barato, e dizem, é de emocionar até aos mais durões, resumindo, as lágrimas são garantidas, como uma espécie de bonus extra.

A questão é: hoje para assistir um filme, gasta-se cerca de 50,00 reais (incluindo a pipoca, refrigerante e a gasolina, e no caso do filme em questão, lenços para enxugar as lágrimas), ressaltando um detalhe, que as principais salas de cinema nacional, encontra-se em shopping center, lembrando também, que a maioria das cidades brasileira não há sequer cinema, isto me leva a seguinte teoria, inicialmente, quem assistira, a estreia de LULA ,, O FILHO DO BRASIL, em Janeiro não será a pobreza maioria, e sim os mesmos que foram as salas de cinemas prestigiar e aplaudir aberrações cinematograficas como TROPA DE ELITE, 2 FILHOS DE FRANCISCO, ou então aos pais que tiveram a cara de pau de levar seus filhos para prestigiar os SIMPSON, é isto aí, a classe media alta brasileira que primeira verá o filme de Lula, portanto quando a imprensa fala isto ou aquilo sobre o filme, ela esquece que o produto é feito para ser devorada por ela mesmo e seus afiliados, afinal, o pobre só verá o filma em duas ocasiões, ou por via'pirata', ou quando for lançado nacionalmente na telinha da Globo, caso contrário, a lógica do tal "êxito politico", se houver é consequencia vinda do alto, da parte rica e pensante brasileira, para o baixo a ralé nacional, os pobres e seguidores, afiliados (É a tal coisa se a imprensa está tão preocupada com o filme e suas prováveis interferência nas eleições no ano que vem, porque simplesmente não trata o produto com indiferença, do jeito que estão fazendo, com a propaganda gratuita e divulgação, com certeza, mesmo sem querer o filme, pode sim como já disse, ou seja através da imprensa rica e seus afiliados , seguidores, pode também, se transformar em sucesso na casa da rale nacional, afinal o brasileiro adora chorar a desgraça pessoal de um retirante de sucesso)

E por fim, seja como for , o LULA merece ter sua tragetoria contada, cantada e chorada no cinema nacional, pois como sempre lembro, o nosso presidente representa a essência NACIONAL. O homem é beberrão, falastrão, borrachão e canastrão, quer algo mais brasileiro? e ainda por cima é analfabeto de pai e mãe. E VIVA O LULA, VIVA O CINEMA NACIONAL, E VIVA O BRASILEIRO. E VIVA O SARCASMO.