domingo, 1 de novembro de 2009

BEM VINDO PORTUGAL

Desde o dia 13 de Outubro passado, que o blog está sendo publicado, quase, que simultâneamente em PORTUGAL, aliás gostaria de parabenizar a marca sapo que hospeda o http://xambioa.blogspot.com, o SAPO é uma marca e um motor de busca criado na Universidade de Aveiro, o site com a marca é bem feito e não deixa nada a desejar aos google, Yahoo, e bing da vida, aliás , serve de exemplo aos brasileiros que adoram endeusar e glorificar todos as maravilhas cibernéticas enviadas pelos norte-americanos. (Depois comento, o meu desanimo com o google).

A versão portuguesa do blog tem uma única diferença com a versão brasileira, pois no "http://xambioa.blogs.sapo.pt" os comentários são livres para qualquer um basta, que se tenha uma conta tipo sapo.pt, para postar qualquer tipo de comentários incluindo o elogio sincero e o escárnio debochado. E como sempre acontece, o blog tem um fervoroso fã-clube (tá bom ,tá bom alguns gatos pingados) dividido, por aqueles que respeitam e admiram o conteúdo e também como não poderia ser diferente por aqueles que odeiam e que seria capaz de qualquer coisa para ver o proprietário do blog internado em uma clínica psiquiatria, de qualquer maneira eu agradeço todos os comentários, afinal, o blog sofre de uma indescritível cinismo e de uma ironia macabra acrescentado uma exagerada dose mortífera de cepticismo por tudo que aprovem do humano. Pois aqui trato apenas de NOSSA VERDADE INCONVENIENTE, onde o conveniente é tratado como UTOPIA e está como VERDADE.

No 'post' EU NÃO TENHO MORAL, que escrevi no dia 31 de Julho de 2008 está tudo aquilo que se refere a essência do que vem a ser o blog, lógico que com um tempo , aqui e ali eu extrapolo está essencia, mas, enfim, vamos ao post: (Não se deve acompanhar este blog pensando em quem o escreveu, e sim no que estar escrito. Porque tudo que aqui escrevo não há rigorosamente nada de pessoal, de vingativo. Faço deste instrumento apenas o meu direito de ser imparcial, de ser critico, o direito de não concordar, o direito de ter minha própria opinião, sem que para isto eu tenha de macular a honra de alguém, obviamente se estar pessoa criticada se sentir atingida por algum dos meus artigos, postagem, todos tem em principio direito de se defender, é o que alguns chamam de liberdade de expressão. É provável que serei odiado por muitos: serei talvez respeitado por aqueles que julgam que vivemos em uma democracia e talvez admirado por aqueles que acham que a liberdade de expressão é o principal alicerce desta mesma democracia. Estou citando isto como uma autodefesa antecipada. Ora usarei o termo moral para moralizar, ora para mostrar que nem todos que se acham moralistas são digno de tal. A moral nem sempre é o que parecer ser. Resumindo somente quem tem o dom de menosprezar a moral tem o poder da critica. Portanto não esperem de mim falsas virtudes. E a critica é um direito de todos aqueles que não concordam com algo por mais relevante que seja este algo. Geralmente a opinião pública é indiferente ao certo e ao verdadeiro cabe porem ao bom-senso descobrir o que é de verdadeiro nela.)

Eu não escrevo coisas que as pessoas querem ler, e sim o que elas odeiam admitir, mas que no fundo de respeito ao EU de cada um, e reconhecer isso, é uma questão de se sentir a vontade em se despir.

Ou então de outra maneira: Eu não escrevo o blog para as pessoas encontrar aqui, o que querem ler, escrevo para mostrar o que o ser humano, de fato é, e não o que ele pensa que é;

Inicialmente a intenção, é que com o tempo, os comentários se transformem numa espécie de FÓRUM, com os temas propostos em cada post, onde se espera, que as pessoas escrevem comentários mais inteligente e menos risivel. Uma coisa é certa não há, em principio, a menor possibilidade que eu responda algum tipo de comentário (mesmo porque, indirectamente, nas entrelinhas dos posts, respondo todos os comentários), só peço que aqueles que não concorda com o conteúdo, aja com indiferença para com o mesmo, pois baixaria, palavrão, palavras tosca de nada acrescenta, só serve para demonstrar o quão frágil e sensível é a personalidade do autor do indecoroso comentário. E lembrem-se ao me criticar com palavras e frases ofensivas, você não está me criticando pessoalmente, está apenas demonstrando, mesmo anonimamente, o ridículo do ser que se encontra por trás da mascara, mesmo porque de ser humano e de mascara eu sou um especialista. Como se sabe, o complicado nessa vida não é ser um anormal dotado de um elevado grau de uma suposta intelectualidade, e sim ser um normal com uma desesperada vontade de ser um anormal, criticar um homem e seu comportamento descritível (é assim mesmo?) é sempre louvável e aplaudido o complexo é elogiar o macaco que se encontra no homem, e é dentro deste inusitado dilema que o blog se alimenta e se insere. Pois até que se prove o contrário o ser humano, é mesmo, fruto de nossa belíssima e poderosamente-eterna, IMAGINAÇÃO.