sábado, 7 de novembro de 2009

ANTIBRASILEIRO


Vira e mexe, recebo e-mail de pessoas me acusando de ser uma espécie de antibrasileiro, de sentir um prazer alienado e desfocado de debochar do brasileiro e coisa e tal, a questão não é exatamente está (ou será que é). Apesar de amar o meu país, o que não poderia ser diferente, no entanto não sou obrigado a ratificar e glorificar, aquilo que considero ser a essência do brasileiro, que é a sua insuperável predisposição para santificar o banal e declaradamente imprestável, não sou obrigado a bater palmas para um povo tosco em atitude, sentimentos e comportamento, assim como não me sentiria bem abonando um tipo de comportamento onde o chulo sempre se sobrepõe ao razoavel mesmo, para não querer ser exigente.

NO FUNDO, EU SOU UM BRASILEIRO QUE SE ORGULHA DE SER BRASILEIRO, DO CONTRÁRIO NÃO COLOCARIA A MASCARA.

Por fim, criticar o modo de ser do brasileiro não é se comportar como uma espécie de antibrasileiro, uma coisa é criticar construtiva, outra coisa é a critica destrutiva, sem ponderação, ressalvas, e a terceira e monstruosa coisa é o que eu faço criticar com propósito de despertar, de alertar, uma forma de vergonha e orgulho embaralhado na cabeça de alguém consciente de sua brasilidade, onde o que importa é sempre ficar do lado contrário do comodismo, do obscurantismo predominante, do excessivamente optimismo reinante, e dos alienados. Ser brasileiro não é apenas sorrir e dançar a musica do momento, ser brasileiro é se orgulhar do BRASIL, não como um tipo de alegre-falso turista e sim da possibilidade de querer o BRASIL no topo do mundo, não no topo da piada, da nudez, da violência, do esporte, das novelas, do deboche mundial, e sim o verdadeiro topo que interessa, o topo das mentes brilhantes.