quinta-feira, 9 de julho de 2009

A MÍDIA E O OBSCURANTISMO - PARTE VIII

As pessoas pode argumentar que a televisão foi sim um marco civilizatório, que foi um enorme processo civilizador na humanidade, pode ser, no entanto o fato dela ter deixado as pessoas como direi mais 'civilizada', isto de fato não se verteu em uma real sociedade civilizada, a humanidade não se tornou mais civilizada no sentido literal, pois as pessoas não deixaram de ser cruéis, de ser tosca em virtude e atitudes, isto não contribuiu em nada para as pessoas se tornassem mais felizes, a solidão, os depressivos, e os suicidas estão por aí exatamente para provar esta constatação, a bem dizer todos estes males só se agravaram da década de 60, 70 para cá. O surgimento da mídia, não tornou a humanidade mais sociável, e nem mais letrada, também não diminuiu a violência , a ignorância, a indiferença, e muito menos o preconceito, ela apenas constatou o agravamento disto. A televisão não trouxe sabedoria, não nos tornou mais inteligente, não influenciou em nossos costumes, pelo menos não positivamente, ou algo que possa ser tirado do contexto natural da evolução humana. A televisão não trouxe sequer consciência humana, consciência solidaria, de que adianta aderimos a algum tipo de campanha humanitária patrocinada e acampada pela TV apenas com o propósito de apaziguar o nosso ego egoísta do dia-a-dia. Afinal, qual a real utilidade da televisão nos dias de hoje?

Ia me esquecendo do principal, a midia , a televisão como fonte de entretenimento, aliás é nisto que ela se justifica, segundo alguns. A meu ver até nisto a televisão falhou, pois como se exaltar um tipo de entretenimento que o principal objetivo é manipular nossas atitudes, nossos costumes, é tentar mudar o que nos é peculiar, como achar que a televisão no entretem sendo que a cada dia estamos mais cegos, mais utópico, mais medíocre, mais propicio à aceitar qualquer tipo de mediocridade tudo isto por causa deste mesmo tipo de entrenimento. A midia no seu propósito de entreter falhou, grotescamente e ao invés de procurar demonstrar um tipo de entretenimento sadio, só serviu para monopolizar o lado medíocre do humano. O entretenimento seja ele qual for e de que tipo for, só se justifica se for pela otica do divertimento, do passatempo puro, sem que isto nos leva a nos iludirmos, sem que nos force a sonhar com coisas ridículas e o principal sem que nos force a ser o que não somos. Nenhuma forma de entretenimento que a midia, a televisão mostra é superior ao teatro, daí se conclui que o entretenimento que a televisão se propõem só tem uma única serventia, alias duas, impor seu próprio modelo de entretenimento e com isto forçar um tipo de acompanhamento diário de sua programação , para só depois impor seu poder de raciocínio e com isto nos forçar a assistir algo, que é apenas um conceito de vida que nos é caracteristico, mais que só serve para.... chega tô de saco cheio deste assunto. Vamos virar a página não é mesmo....

Embora tenha atacado a Internet, em determinada parte deste ensaio, é certo também que estou abusando do meu direito de ser hipócrita, afinal é um calculado risco que se corre a todo aquele que se propõem a criticar uma unanimidade. Pode me chamar de tudo, menos de ser indiferente.

E para finalizar ainda resta uma eternidade pela frente para a televisão, a midia nos mostra sua verdadeira utilidade, capacidade para isto ela tem.

A INUTILIDADE DA TELEVISÃO HOJE E SEU ESTRONDOSO SUCESSO E UNANIMIDADE SÓ SE JUSTIFICA DENTRO DO CONTEXTO DA INUTILIDADE DO NOSSO TEMPO OCIOSO, OU SEJA UMA COISA JUSTIFICA A OUTRA, E AS DUAS SE EQUIPARAM.