quarta-feira, 24 de junho de 2009

A SUPREMACIA DO IMPOSSIVEL É SUBLIME

É magnifica, é assombrosa a forma como o homem vive. Nós passamos todo o percurso de nossas vidas lutando, batalhando para atingirmos a perfeição, há na realidade uma luta desigual, desproporcional em torno da 'supremacia do impossível', tudo em nossas vida gira de uma forma ou de outra, dentro deste contexto, as vezes chegamos ao absurdo de nos suicidarmos porque descobrimos a verdade desta afirmação. A busca pela felicidade, a sonhada paz universal, a frenética busca pelo amor, pela fraternidade, e tudo mais de bonito que pregamos, que normalmente pensamos, desejamos e sonhamos, todos os dias, tudo isto é fato. Embora para desespero, de muitos, seja também fatos que pertencem a 'supremacia do impossível', é como se no final nos descobríssemos que lutamos em vão, que aquele papo que uma andorinha só não faz verão, é mesmo uma dupla verdade, com duplo sentido, e duplo significado diferentes, entenderam? não?, nem eu.

A questão é, se tudo isto é sério, se faz algum tipo de sentido, porque então continuamos sonhando e desejando coisas impossíveis, talvez porque sonhar faz parte da essência humana, é o que nos da força, e esperança, o homem não sobreviveria um dia sequer, se lhe tirassem a esperança de um futuro promissor, de dias melhores.

O conceito de Deus, a importância de Deus, reside exatamente aí, ou seja, ele existe para justificar a 'supremacia do impossível', se ele existe, se acreditamos nele, é porque de fato há um sentido na luta diária em torno de um mundo melhor. Deus existe na mente humana, para abonar que tudo que é impossível, é abonado em seu nome, é como definiu, cesta vez um filosofo: "A única saída verdadeira", diz ele, " está precisamente ali onde não há saída, conforme o julgamento humano. Do contrário, para que teríamos nós necessidade de Deus? As pessoas só recorrem a Deus para obter o impossível. Para o possível, os homens se bastam".

Eu não acho , de todo justo, embora seja verdadeiro, aquela afirmação que muitos filósofos proclamam, que tudo que se fala, e se pensa sobre o conceito humano da vida, da vontade de viver, de sonhar, e etc e tal, seja uma gloriosa, ou seria monstruosa "mentira". Prefiro levar as coisas pela preservação da mente, pela preservação da vida, de se evitar a dor da alma, a dor existencial, ou seja se pudemos de fato preservar a saúde de nossa mente, se pudemos de fato justificar a vida, se pudemos de fato evitar a dor, o que importa a mentira, o que importa a verdade. Ou será , que no momento, , no nosso mundo dito civilizado, em nossa sociedade mundial, exista algo melhor, do que viver saudavelmente? Se tudo que pensamos, desejamos e sonhamos, faz parte da 'supremacia do impossível', então que façamos disto um mal menor, e não uma justificativa, para o nosso definitivo fim existencial e desgraçado de se viver.