quarta-feira, 17 de junho de 2009

SARNEY JOGA, LITERALMENTE, SUA BIOGRAFIA NO LIXO

O atual presidente do senado, e ex-presidente José Sarney, é uma destas figura que a muito deveria ter sido sepultado e concretado, da memoria do povo brasileiro, mais por uma destas implacável ironia do destino ele está por aí firme e cada dia mais forte. O governo de Sarney se notabilizou por ter sido algo digno de deboche, cheio de equívocos, erros e criticas, e quando se tenta chegar há algum tipo de legado, sempre aparece alguém para lembrar que seu governo só serviu para fortalecer a nossa democracia e coisa e tal.

Ou seja,o tempo foi passando e Sarney graças a sua esperteza, tipo qualquer coisa comparável com uma velha raposa, e sua enorme influencia e poder nas regiões norte e nordeste, ele foi se sustentando no poder, e também graças a isto, ele terminou por se tornar um baluarte de nossa politica, algo como um aiatolá da politica brasiliense, ou seja tudo ia indo muito bem, para a velha raposa, inclusive já se havia consolidado em definitivo a ideia de que seu governo foi mesmo um importante passo para a consolidação de nossa democracia, da retomada democrática.

O que pouca gente não sabe, é que na mesma época que Sarney estava sendo cortejado para se candidatar, novamente, para a presidência do senado, ele também havia sido oficialmente convidado para se candidatar a presidência da ABL, e assim como no senado, na ABL sua candidatura era dada como favas contada. Por um instante Sarney, pensou ABL ou Senado. A favor da presidência da Academia Brasileira de Letras, estava toda uma biografia, não apenas como escritor, mais como notável homem publico que aparentava a ser, além de que na ABL ele teria todos os ingredientes para se aposentar e colocar uma linda honraria em sua biografia. Bom, no Senado, ele tinha algo que no fundo todo homem publico almeja, poder, poder e poder e embora tenha falado mais de uma vez pela imprensa que não se candidataria ao senado, não foi isto que ocorreu, atraído pela gaiola-armadilha do poder cego, terminou sobre pretexto de que não fugiria de suas atribuições de baluarte da moral e dos bons costumes, terminou por assumir a presidência de uma casa, em que a safadeza, o descaramento, a falsidade, o mau caratismo, a imoralidade e o descrédito passou a muito a ser a regra, e com isto terminou por colocar Sarney em um difícil dilema: renuncia a presidência e a vida publica, ou assumi de uma vez por toda a função que todos esperam de um presidente do Senado, que é a de honrar o cargo moralmente falando, junto ao seu eleitorado, ao país. Uma coisa é certa, seja qual for a decisão final de José Sarney, ele terminou ao recusar ser presidente da ABL em pró da presidência do senado, por colocar , por jogar com as próprias mãos sua estimada biografia na lata de lixo. A historia deu duas chances para Sarney, e nenhuma ele aproveitou.





OBS:Este texto foi escrito ontem na parte da manhã, ou seja horas antes do Senador José Sarney, subi na tribuna do senado para fazer um inflamado discurso em defesa............de sua biografia.