domingo, 1 de março de 2009

É LAMENTÁVEL

No dia 13 de Fevereiro de 2009 o jornal UFANISTA (segundo Arthur Dapieve do próprio jornal) O GLOBO publicou uma longa e tendencioso reportagem com a seguinte Titulo "Brasil vê indícios de xenofobia em ataque", no subtítulo vinha a seguinte frase de nosso Lula "Não podemos ficar calados diante de tamanha violência contra uma brasileira no exterior". tudo isto por conta da nebulosa agressão sofrida pela doente mental, digo pela brasileira Paula Oliveira na Suíça. Mais o melhor ficou por conta da deliciosa oPInião-editorial do jornal para o caso: "Ninho do nacionalismo e racismo nazifacista, a Europa volta e meia assusta ao patrocinar casos como o da agressão a advogada brasileira Paula Oliveira na Suíça, por tres skinheads. Atacada a navalhada, o que a fez interromper a gravidez de gemeos, Paula foi vitima de serpentes cujos ovos têm sido aquecidos pelos efeitos da crise mundial no mercado de trabalho europeu. Mas não há qualquer justificativa para atos de violência muito menos deste tipo. Fica para o Brasil a lição do que significa atiçar demônios como o nacionalismo exacerbado e a divisão da sociedade por suposta raças definidos pela cor da pele", tudo isto poderia ser grotesco se não tivesse sido extraído das paginas do jornal "O Globo", o que por si só retrata o nível de nosso jornalismo. No entanto neste mesmo dia 13 de Fevereiro a brasileira confessou admitindo ter infligindo ferimentos em seu próprio corpo, depoimento este protocolado pela policia. Não me consta que o jornal tenha vindo a publico se retratar, mesmo porque seus afiliados a Rede Globo fez ainda pior, levando o governo brasileiro a terem a mesma postura, de pura alienação, quanto ao caso em si.... Arthur Dapieve na sexta dia 27 em sua coluna expões o que aconteceu em sua coluna..."...corre o risco de ser quebrado pelo mesmo ufanismo que coalhou os jornais assim que a jovem advogada pernambucana disse ter sido atacada por neonazistas na Suíça, país logo tachado de racista e xenófobo....!


Eu poderia parar por hoje, mais aí entra outro caso com idêntica situação, apesar de histórias completamente diferentes, caso este envolvendo o jovem João Paulo Lins e Silva que para quem não conhece vem a ser filho do clã Lins e Silva do todo poderoso escritório de advocacia, o dos mais celebres da área no pais representante de celebridades e dos mais variados meios de comunicação e nosso país. Bom vamos ao que interessa, o caso é mais um destes que foge ao bom senso tamanho é o absurdo... a nossa bendita justiça concedeu ao senhor Lins e Silva a guarda de uma criança o jovem Sean Goldman, filho do norte-americano David Goldman e da brasileira Bruna 'Bianchi' Ribeiro, tudo por que a mãe que já era casado com Lins e Silva, morreu em Agosto ultimo, em decorrencia de complicações no parto de sua segunda gravidez, bem alguém pode se perguntar por que diabos a justiça brasileira não devolveu a criança ao pai biológico, já que este já havia protocolado um pedido neste sentido antes mesmo da mãe vim a falecer, uma vez que o caso foi tratado desde o primeiro momento como sequestro? Aqui nos links do blog, encontra-se um que leva direto ao site do pai da criança, onde pode-se acompanhar todo o esforço do mesmo para adquirir a guarda do seu próprio filho nas mãos, neste momento, de 'estranhos'. Este caso está tendo uma enorme repercussão na midia dos EUA, aqui devido ao nome Lins e Silva , a imprensa e a midia como um todo simplesmente se omite ou melhor se omitia, porque a repercussão tomou uma dimensão tão grande que o assunto entrou na pauta da reunião do nosso ministro das relações exteriores, Celso Amorim com a secretaria de Estado dos EUA Hillary Clinton, no ultimo dia 25, no mesmo dia o jornalão New York Times publicou - o que vem acontecendo a tempos - uma longa matéria sobre o caso, quando foi no dia 27 o ministro Amorim fez um breve comentário em Paris, onde disse que sim o assunto entrou na conversa dele com Hillary, dizendo que o processo se encontra na justiça federal e logo teremos novidades, a noite nos telejornais apenas o SBT se prontificou a informar o fato, mais uma vez sem mencionar o nome Lins e Silva. Como a pressão cresceu "O GLOBO" publicou pela primeira vez ontem, reportagem sobre o tema de pagina inteira, com o seguinte titulo
"Disputa por criança teria sido motivada por dinheiro", no subtítulo temos "Família brasileira acusa pai americano de nunca ter procurado menino e de estar interessado em herança".

O editor executivo do jornal DESTAK ( praticamente o único a mencionar o caso , mesmo com um certo temor) em sua coluna do dia 27, escreveu o seguinte".... Será que o fato de o segundo marido da brasileira pertencer a um importantíssimo clã de advogados tem algo a ver com as decisões contra o pai da criança? Será que isso explica o silêncio da imprensa brasileira? Afinal os jornais que tentaram contar a história foram notificados judicialmente pela família do segundo marido";

Ainda sobre a extensa-pequena, para não falar ridícula reportagem do Globo sobre o caso vale ressaltar:

l O jornal omitiu que a criança encontra-se sob a guarda dos Lins e Silva e não da família de Bruna Bianchi:

2 - O jornal insinua categoricamente que a criança tem que ficar com Lins e Silva simplesmente porque o pai biológico não teria como bancá-lo, e diz em um dos subtítulo: "David recebeu 150 mil dólares da família de Bruna", como se o direito do pai estivesse diretamente condicionada ao seu poder aquisitivo:

3 O jornal da ampla defesa de parte da família Bianchi-Ribeiro acusando o pai de "nunca ter procurado menino e de estar interessado em herança", como si o mesmo já não tivesse de direito e de fato garantias sobre a criança seu filho nascido nos EUA, e tudo que pertencer ao mesmo, inclusive aí uma eventual herança, a hipocrisia da família e do jornal é que revolta(É lógico que o jornal sempre se resguarda o direito de se manter sob o manto sagrado da hipocrisia , afirmando que se limitou a transcrever a defesa da família, então tá....)



É lamentável que o jornal mais uma vez, comete o mesmo erro do primeiro caso, é lamentável que nossa imprensa e nossa justiça seja tão pernicioso quanto situações em que envolve o humano, é lamentável que a sociedade embarque cegamente neste tipo de acontecimento sem antes procurar pensar , para se situar, é lamentável que em plena democracia, coisas grotescas ainda aconteça, É LAMENTÁVEL.