quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

SUÉCIA OU SOMÁLIA

A constatação que o Brasil sofre de uma crise de identidade não é nova, a novidade é que ao invés de melhorar estamos piorando, a cada ano a crise está mais aguda e insuportável, Não é fácil ter que se comportar ora como se fossemos uma Somália, ora uma Suécia, senão vejamos:

- Nós nos orgulhamos de sermos uma democracia, embora em muitos lugares ainda predomina a ditadura e em outros o trabalho escravo:

- O salário mínimo vigente é de 400 e poucos e o ingresso para assistir qualquer apresentação de um gringo é de 200 250... por 2 horas de apresentação:

- Ser vereador no Brasil é algo extremamente gratificante, não pela oportunidade de representar democraticamente o povo, mas sim pela possibilidade maravilhosa de embolsar um salário exageradamente vergonhoso:

- Nós somos o povo mais moralista que existe, no entanto isto só serve para o outro, a moral do brasileiro é alheio a si mesmo:

- O brasileiro de classe média alta é um dos mais arrogante do mundo, mais isto aqui, porque lá fora no dito primeiro mundo, eles se comportam como uma humildade digna dos africanos, por que será?

- A gente sempre se espelha nos norte-americanos em tudo, mais tudo mesmo, no entanto os nossos índices, seja lá em que área for sempre está mais próximos dos índices africanos do que dos EUA;

- Pelo tamanho seria natural que fossemos um grande líder entre os países sul-americanos, no entanto não basta apenas pensar grande a realidade existem para mostrar que sem atitude de líder tudo fica apenas no seria. O Brasil se comporta como JAMANTA, aliás o Brasil é o jamanta da América do sul;

- O nosso problema não é querer sempre e sempre se espelhar nos EUA, mesmo porque não existe nada demais em querer se espelhar nos grandes, nos bons, na perfeição, o problema é quando isto vira uma obsessão, o que nos levar a abdicar de nossa própria capacidade, em pró de sermos sempre os fantoche da situação.