segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

QUAL A LÓGICA?

Semana passada o canal de noticia CNN, deu uma ênfase enorme nos ataques terroristas na India, com cobertura quase que ininterrupta, bem ao gosto do CNN por sinal. Como já era de se esperar a nossa mídia entrou de cara na cobertura destes atentados na dita capital financeira do país, o Globo por exemplo publicou páginas e mais páginas sobre o assunto, embora o tema em si seja requentado, pois quem nem está acostumado ver o trio Paquistão-Violência-India em ação, mais aí entra aquele velho dilema o que é noticia para os EUA, tem que ser obrigatoriamente para nós também, é assim que é feita a pauta diária na redação dos grandes-pequenos jornais brasileiros. Enquanto isto, quase que simultaneamente aos acontecimentos na India, acontecia uma tragédia de proporções bem maiores , com centenas de mortos na África, Nigéria, e diante disso o que fez a nossa imprensa? simplesmente ignorou, como se as mortos indianos fossem mais importantes do que os mortos africanos, como se um tivesse mais prioridade do que o outro, como se a tragédia indiana tivesse mais relevância que a tragédia africana, como se ignora a morte, os horrores que acontecem diariamente nos morros cariocas. Tudo bem nós somos mesmos um povinho idiota, e a nossa imprensa representa isto fielmente, temos a imprensa que merecemos.

A lógica da imprensa é baseada, eu acho, naquela coisa momentânea, por exemplo se acontece um caso de suicídio juvenil que chame a atenção, logo aparecerá outros idênticos, dano a impressão de ser algo novo. Na semana passada por causa do terceiro congresso que tratou do abuso contra crianças, logo, logo aparecerão dezenas de casos, de presos envolvidos com pedofilia ou algo assim, como se fosse algo novo, Quando o caso Eloá veio a tona, logo , logo a mídia tratou de garimpar Brasil a fora casos idênticos, tudo para alimentar a nossa curiosidade morbíta. A pauta da nossa imprensa ou é baseada no que é noticia para os EUA, ou é feita encima da curiosidade das pessoas que adora ver,morte, sangue e porrada na madrugada, ela nunca se aprofunda naqueles assuntos realmente importante para nós,nunca se ver um editorial que de prazer de ler, de pensar, de nos fazer presente, e quando isto acontece é banalizado por nós, por que será?