segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O PRESENTE IDEAL

Dezembro chegou, e com ele toda a angustia em torno da nossa eterna obrigação de presentear alguém. Alguns compram presente com intuito tão somente de se sentir presente, vivo. Outros presenteiam para mostrar o quanto são grato com aqueles que lhe serviram durante o ano. Tem também os que presenteiam para se criar um divida com o presenteado, como se falasse: - agora é você que me deve um presente. Tudo isto leva a angustia, e o que era para ser uma data legal, termina por nos levar a momentos horríveis e o pior cria-se entre nós uma falsa expectativa.

O ideal é gastar nosso tempo , dinheiro e angustia, com algo que nos faça bem, nos faça humano. Presentear aquelas pessoas que no decorrer do ano, nos tratou com educação, nos cumprimentou, que foram prestativo, quando não era obrigados a ser, pode ser o porteiro, o guarda de transito, a diarista, o guardador de vaga, aquela caixa do supermercado, aquela vendedora, ou seja aquelas pessoas, que podemos surpreender e que possam se sentirem amada. O melhor presente é proporcionar que o outro se sinta presente, amado, sem maiores expectativas, em torno disto.