quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

FALTAM EDUCADORES


A figura do educador em nosso país, está cada vez mais rara, não o educador, o professor , seja da universidade, seja das escolas superiores, seja lá de onde for, o educador que me refiro é o intelectual, aquele autodidata, aquele que sabe falar, sabe conversar, sabe dar uma respostas aos alunos sem demorar, sabe acima de tudo se comportar como um educador, aquele que sempre tem um comentário plausível dos grandes acontecimentos da semana, aquele que tem sempre um bom exemplo para seus alunos, aquele que ler, que é viciado em ler, para se manter atualizado, em pró de seus alunos, é este educador que me refiro, e aí conhece algum? Eu sou filho de dois, por isto posso falar de cabeça erguida. A ausência deste tipo de educador é que faz o Brasil um país de burros, onde ninguém da conta de pronunciar uma única frase inteligível, interessante. A capacidade de pensar, antes de falar é o que nos faz interessante, a coisa que eu mais invejo nos norte-americanos, e nos europeus é a capacidade que eles tem de sempre, e sempre ter uma boa frase, uma boa resposta para tudo, sempre na ponta da língua. Quem teve um bom educador tem esta capacidade.

O verdadeiro educador nos da resposta para tudo, mesmo que seja provisória, as nossas escolas está recheada de burros ensinando idiotas, e para nós tudo é normal, a educação de nossos filhos só não é pior, porque nós somos cego, idiotas e por demais ignorantes. O bom educador é acima de tudo aquele que nos faz lembrar, nos faz recordar de suas aulas, de suas ensinamentos, mesmos passados 15, 20.. anos.

Se não temos bons educadores, não temos como escrever, não temos sequer capacidade de pensar, de ver, o maior problema de se falar merda é o reflexo que isto tem em torno de nossa mediocridade, é como fossemos uma país inferior, e não se trata disto, não é isto. A capacidade de ver e de analisar o que se ver, esta diretamente ligada a capacidade de pensar, de se expressar, de saber se expressar, e isto tudo teria que estar sendo transmitido ou pelos pais ou por educadores, porque hoje, os nossos filhos nem tem educadores e nem tem pais educadores, daí a legião de burros que se transformou a nossa grande-pequena nação.