quarta-feira, 5 de novembro de 2008

É O FIM OU É HISTÓRICO

Estamos sempre presenciando o fim de algo, ou o começo de algo, dependendo do ponto de vista de cada um. Uns falam no fim da hegemonia norte-americana, outros no do capitalismo, temos também aqueles que prevêem o fim da imprensa escrita e também de vários outros fins. Temos também os que vêem na evolução, um motivo, momento histórico, esta semana todos estão com o histórico na ponta da língua: um momento histórico, uma eleição histórica, um dia histórico, está é uma semana histórica estamos presenciando um momento histórico na historia humana e por aí a fora... As eleições nos EUA foi um exemplo , no mínimo grotesco, se formos observar atentamente a forma exagerada que estamos dando a ela, e consequentemente eventuais efeitos no nosso dia-a-dia que isto pode ter, e nisto pouco importa quem será o novo presidente se é branco, ou amarelo, negro ou preto, a questão tem mais haver em elegemos algo que - pode até ser histórico para uma minoria - não mudará em nada nossas vida, e muito menos nosso modo de ser de pensar, as pessoas não deixará de ser menos ou mais preconceituosa ou pacifica para determinados temas. A própria história, nos lembra que para determinados assuntos, não há remédio algum que possa resultar em solução, nos lembra também que quando se tenta decretar o fim de algo ou mesmo o aparecimento de algo aparentemente histórico a tendência é que fiquemos a mercê de banalidades histórica, também. A nossa história e tão recente, que é no mínimo esquisito e ousado a forma pouco usual ou seria metódica, de como certos acontecimento são manuseado, a fim de se saber de se constatar se algo é realmente histórico ou não. O bom disto tudo, que seja qual for o resultado desta discussão pouco proveitosa, qualquer fato tido como histórico hoje, ontem ou amanhã, vai continuar fazendo parte das coisas ditas como banal, afinal a nossa própria historia foi fundada encima de coisas banais. E basta de histórico por hoje.