sexta-feira, 14 de novembro de 2008

DROGAS EM HORÁRIO NOBRE

O pedido de dispensa por tempo indeterminado do ator global Fábio Assunção da novela 'Negocio da China', traz um debate no mínimo interessante. Apesar da ignorância das pessoas sobre o tema, não é novidade para muita gente a quantidade de atrizes, e atores, escritores, jornalistas, e todos aqueles que vemos na nossa sala todos os dias, não é nenhuma novidade portanto que muita gente deste grupo se droga e são viciados nos mais diversos tipos de drogas ilícitas, o que muito pouco acontece é admissão destas pessoas com as drogas, porque o normal é tudo ficar entre quatro paredes como se diz, pessoas como a atriz Vera Ficher e agora o ex-jogador e ex-comentarista Casagrande são casos raros de pessoas que vieram a público falar de seus envolvimentos com a drogas e admitir a dificuldade de largar o consumo exagerados. A questão é, até que ponto se deve falar publicamente, até que ponto isto beneficia uma eventual mensagem contras as drogas, até que ponto celebridades pode influir de uma forma positiva ou negativa, sobre um assunto cada vez mais banalizado , cada vez menos discutido. Temos um caso interessante, que as vezes nem a exposição é suficiente para denegrir a imagem de celebridades com drogas, é o caso do cantor Belo, que mesmo preso e condenado, não foi suficiente para cair no esquecimento, muito pelo contrário todos os show do cantor são lotados, embora para os fã pouco importa se a pessoa se droga ou não, porque ele nunca vai abandonar. Como estes fã são sempre a minoria, é de se supor que a admissão como viciado de pessoas ditas celebridades, pode ser , servir como uma espécie de alerta se não para os jovens pelos para os pais e é sempre bom que o assunto esteja em exposição em debate, em discussão, o que não podemos é fazer como estamos fazendo agora banalizando uma coisa que acaba de forma implacável todo o sentido, toda a harmonia que se tem em torno de uma família.Falar publicamente sobre droga ainda é a melhor forma de nos mantermos longe ou em ficarmos sempre alerta em torno daqueles que se acham imune ao vicio .