terça-feira, 30 de setembro de 2008

O BOM É SER CEGO

A minha paixão pelo livro 'Ensaio Sobre a Cegueira' de José Saramago chega a ser indisfarçável, basta ler algumas de minhas postagens como por exemplo: 'Genocídio Moral', 'Fanatismo', 'Nossos Monstros', 'A moral da indignação', entre outras. E agora diante do filme de Fernando Meirreles, que tenta, até certo ponto, ser fiel ao livro, me deparo com o estranhamento de algumas pessoas que tem uma certa dificuldade em analisar esta obra, ou melhor de tentar analisar fielmente o que é sociedade, e em que tipo de sociedade estamos inserido. O livro de José Saramago assim como o filme, nos mostra o que somos e não o que poderemos ser caso algo extraordinário aconteça, e é exatamente esta parte que tanto incomoda estas pessoas. O conceito de humanidade é vago, o conceito de sociedade é por demais nebuloso. As atrocidades cometidas por nossos traficantes diariamente, os nossos pedófilos, os nossos trabalhadores escravos, os nossos nazistas, nossa alienada elite, nossa arrogância gananciosa, o nosso falso amor, a nossa falsa verdade, as atrocidades cometidas em nome do amor da religião e da politica, enfim o nosso falso moralismo, tudo isto só serve para mostrar o que realmente somos. Os 'bons' da humanidade serve sim para diagnosticar a nossa cegueira coletica,afinal, o bom em nossa sociedade é ser cego.