segunda-feira, 22 de setembro de 2008

GUERRILHA DO ARAGUAIA - Parte III

Tenho uma verdadeira aversão por 'comunidade e orkut', não que não sejam legais, o problema sou eu, não tenho tempo e muito menos paciência, já que a Internet tem infinitas coisas mais interessantes...No entanto só para queimar a minha língua, vou fazer um comentário sobre uma destas comunidades, a de nome 'xambioa', a principal da cidade de mesmo nome. Tornei-me membro por 4 dias para divulgar o blog, terminei por me deparar com algo inquietante, apesar da comunidade ter mais de l000 membros, não tem nada de realmente interessante sobre a guerrilha(salvo alguns bravos guerreiros) e quando alguém entrou na comunidade para fazer uma pergunta pertinente sobre a guerrilha do araguaia, não apareceu absolutamente ninguém para dizer alguma coisa que possa ser considerada plausível.O que se ver muito é a critica sobre a decisão do prefeito de mandar derrubar um monumento/memorial que homenageava o partidão , não sei bem. É sobre isto que quero comentar, porque a dois lados desta historia, o primeiro: sinceramente não sei os motivos que levaram o prefeito a tomar tal decisão, se foi por preconceito aos guerrilheiros por pertencerem ao partidão(preconceito este já comenta, em artigos anteriores). ou se foi pela total irrelevancia do memorial, é importante salientar que apesar da cidade ser reconhecida mundialmente como sendo palco da guerrilha do araguaia, a uma enorme inverdade nisso, 95% da guerrilha em si, foi travada em terras paraense, 95% dos guerrilheiros e militares mortos foi em terras paraense, não há nenhum registro que aponte alguma morte na cidade de Xambioá, pelo menos em combate. Ouve sim mortes de guerrilheiros presos, na base militar atos este praticados por militares covardes envolvidos na ação. A cidade entrou nisso por dois motivos, toda a operação(mobilização esta que chegou a ter 3.200 militares para combater 92 guerrilheiros) foi baseada na cidade, o segundo a cidade por sua localização geográfica foi porta de entrada da maioria dos guerrilheiros. Dito isto , é de considerar a cidade de Maraba, Conceição ou São Geraldo, o local exato para ser construído o tal memorial/monumento. Certo? errado, e aí que entra o segundo lado: uma vez que a cidade é conhecida mundialmente como o local onde ocorreu a guerrilha, não a porque não tirar proveito da situação (antes que seja tarde: a covardia dos militares não foi apenas na execução sumaria de guerrilheiros presos, eles também foram covarde para prender, humilhar, torturar, constranger , e tudo mais que estiver no contexto, em relação aos moradores de Xambioa) não digo tanto em relação ao monumento, mais suas inúmeras oportunidades de divulgar a imagem da cidade e assim atrair turistas de qualidades, seja através de congressos, exposições, documentários há uma infinitas listas de ações que bem aproveitadas, todos ganhariam, o prefeito com pouco mais de visão, teria investido neste filão turístico(o Carnaval da cidade atrai o pior tipo de turista que uma cidade pode querer/desejar), afinal, queremos ou não a Guerrilha do Araguaia faz parte da história de Xambioa e do Brasil.

A minha outra inquietação é a total indiferença - dos jovens - em forma de 'não se saber nada', no que diz respeito a sua história. Indiferença esta patrocinada e financiada pelo próprio Estado, que insiste em seu silencia macabro. Se o nosso presidente tivesse o mínimo de bom-senso, já teria, com seu ministro de educação colocado a guerrilha contada detalhadamente, nos nossos livros de história, o que também não impede da sociedade tomar para si esta tarefa. Vale lembrar que a maioria dos militares e guerrilheiros mortos, vem de vários estados em sua maioria do Rio de Janeiro , São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Ceara, portanto é a história de todo um país que estão querendo sepultar.

Em Outubro último(2007), pela Globo News, assisti por um breve momento um debate acalorado entre Roberto Freire, dois cientistas políticos da USP, e um jornalistas mediador. Todos falavam sob os acontecimentos de l9l7 na revolução russa. Era notável a forma como cada um defendia seu ponto de vista, parecia apesar da língua, que o programa era em Moscou, tamanho era o entusiasmo . Hoje fico pensando, qual o país no mundo teve acontecimentos como os ocorridos na nossa guerrilha, de uma forma magnifica, utópica e ao mesmo tempo realista, e extremamente desumana......Maldito o país que esquiva de estudar seus próprios acontecimentos históricos. Não é a toa(volto a afirmar) que nós brasileiros somos os grandes fantoches da humanidade.