segunda-feira, 29 de setembro de 2008

EDUCAÇÃO - Parte VI

A secretária de Educação de Tocantins, Maria Auxiliadora Resende conhecida como Dorinha, fez como presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação uma das constatações mais lúcida vinda de alguém da Educação. Ela defendeu publicamente a aplicação de prova em todo o país para avaliar professores do ensino básico, afirmando: -Está é uma questão central e ninguém tem coragem de enfrentá-la. Hoje qualquer um pode ser professor e a gente não sabe a qualidade de quem leciona. Há professores que é incapaz de escrever um texto pequeno. Como vamos querer que um aluno faço isso?. O interessante é observar que esta declaração da secretaria não é uma caça as bruxas, mas de mexer numa ferida horrível em nossa sociedade, Tenho certeza absoluta que se formos avaliar atentamente os professores de nossos filhos, vamos chegar a uma horrível conclusão, a de que cerca de 35 a 40 por cento (pelo menos nas regiões Norte-Nordeste) destes professores não dar conta de ler e interpretar qualquer texto com mais de 30 linhas. A diferença toda esta, entre aqueles que leciona, e os que querem, mas não podem lecionar.